Foto de Letras do Alva

As ruas de Seia encheram-se para participar num protesto contra a destruição do serviço nacional de saúde. A manifestação saiu da Rua Capitão Dr. António Dia, onde se situa o Centro de Saúde de Seia, até ao Hospital local.

A população reivindica mais investimento, mais especialidades e melhores serviços de saúde. Em Seia, mais de 6000 pessoas não têm médico de família, ficando sujeitos a consultas de recurso, situação que tende a agravar-se no próximos tempos, dos doze médicos que trabalham no concelho, três deles vão-se aposentar em breve. A situação mais grave no Hospital e no Centro de Saúde é a especialidade de oftalmologia que conta apenas com um médico.

(Escrito por MM)

Deixe o seu comentário

Skip to content