Em comunicado, o SEP denuncia que “não é saudável manter pessoas no exercício, sentindo-se obrigados a estar, isto é, com um pé dentro (pela obrigação) e um pé fora (pela vontade em sair).”

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, numa nota enviada à imprensa, denuncia que a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco encontra-se sem Conselho de Administração desde março, já que o presidente deixou de exercer por limite de idade. 

O SEP informa que “o ministério da Saúde, naturalmente, tem informação desta situação e não só não tomou as decisões que lhe competem como a arrasta, forçando os restantes membros da administração a manterem-se no leme da instituição no exercício de serviço público com a motivação pelo dever, e só.”

“Não é saudável manter pessoas no exercício, sentindo-se obrigados a estar, isto é, com um pé dentro (pela obrigação) e um pé fora (pela vontade em sair), sem estarem de corpo inteiro, independentemente do profissionalismo, competência sentido de responsabilidade”, afirmam.

Terminam frisando que “um conselho de administração é um órgão colegial, nomeado pelo Governo e presidido por uma pessoa no qual foi depositado responsabilidades acrescidas não devendo, por isso, funcionar de forma amputada até porque as suas funções e as suas decisões não podem ser tomadas por outros”. 

Deixe o seu comentário

Skip to content