Estão a ser desenvolvidas na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro ações integradas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU que visam uma sustentabilidade ambiental na instituição, tornando a UTAD num Ecocampus com certificação internacional em ambiente e energia.

A UTAD tem tentado ao longo dos últimos anos caminhar para um consumo mais eficiente de água, fazendo também uma mudança de paradigma na produção e consumo eficiente de energia bem como na produção e valorização dos resíduos e na promoção da mobilidade sustentável. 

As ações que estão a ser levadas a cabo pretendem transformar o Campus da Universidade num Ecocampus, albergando o maior Jardim botânico da Península Ibérica, com mais de 6.500 árvores, ao mesmo tempo que obtiveram nos Sistemas de Gestão Ambiental e de Gestão de Energia uma certificação internacional durante três anos.

As ações centram-se no consumo de água, de energia, na mobilidade sustentável e na gestão de resíduos.

Segundo o notícias utad, irão ser instaladas 500 torneiras redutoras para o consumo de água ser mais eficiente, ao mesmo tempo que será garantida uma intervenção mais eficaz aquando da existência de fugas

Relativamente ao consumo de energia, pretendem uma redução de 70% nas emissões de gases com efeito de estufa ao mesmo tempo que querem garantir uma redução no consumo de energia de 25%. Para atingir estes objetivos, foram instaladas caldeiras de produção de água quente a biomassa, ao mesmo tempo que se instalaram 1000 painéis fotovoltaicos e a substituição de 12000 lâmpadas normais por LED, o que levou a UTAD a obter certificação ao abrigo do Sistema de Certificação Energética dos Edifícios (Decreto-Lei nº 118/2013) para 25 edifícios no programa para a certificação energética.

Foram também instalados na UTAD postos de carregamento para viaturas elétricas e foi feito um alargamento da ciclovia que pretende ligar a cidade ao Campus da Universidade, bem como uma melhoria das condições para as deslocações pedonais, tendo também preocupação com as pessoas com mobilidade reduzida. 

Já o Plano de Gestão de Resíduos da UTAD prevê a promoção da separação e reciclagem dos materiais o que reduz os resíduos enviados para o aterro.

A UTAD tornou-se também recentemente, através da atribuição de certificação internacional Sistemas de Gestão Ambiental e de Gestão de Energia na primeira instituição não empresarial a obter estes certificados, que segundo o Pró-Reitor para a área do Património e Sustentabilidade, Amadeu Borges, em declarações ao notícias utad, é “mais um passo na afirmação da UTAD como instituição que privilegia o uso eficiente de recursos numa perspetiva ecológica e de melhoria contínua dos espaços oferecidos a trabalhadores e estudantes”.

Considera ainda que em Portugal “são poucas as instituições que possuem certificação nestes referenciais, sendo que a UTAD é a primeira instituição não empresarial a obter a certificação simultânea nos dois referenciais. Na Europa, fazemos parte de um grupo com menos de 10 instituições, a sua maior parte do Reino Unido, que possuem esta dupla certificação” referindo que foi a “primeira vez que uma Instituição de Ensino Superior se submeteu a critérios exigentes, como os requeridos por estas normas, em simultâneo, normalmente solicitados por indústrias, mas apenas em um dos referenciais”.

Defende ainda que as medidas que prevêem uma melhor eficiência energética vão “permitir trazer os edifícios, alguns com 40 anos, ao século XXI, em termos de consumo de energia”.

Deixe o seu comentário

Skip to content