Na passada sexta-feira, a Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Bragança reuniu, por videoconferência, com o Sindicato Nacional da Proteção Civil (SNPC), na sequência da denúncia de que os trabalhadores da Arbórea – Associação Agroflorestal e Ambiental da Terra Fria Transmontana, em Vinhais, têm 2 meses de salários em atraso e respetivos subsídios.

Segundo nota de imprensa da distrital do Bloco a que o Interior do Avesso teve acesso, foram informados na reunião de que o Sindicato já fez queixa à Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e que estes já terão visitado o local.

Afirmam que a “situação dos salários e subsídios em atraso ainda se verifica, e segundo o Sindicato, não é a primeira vez que estes atrasos acontecem.”

A empresa fez, entretanto, um acordo para pagar o valor em atraso num período de 18 meses, o que é para o Bloco “francamente escasso, visto que são trabalhadores que têm baixos salários dos quais dependem, e por esse motivo, consideramos que isto não é uma solução válida, pois perpetua no tempo os valores em dívida.”

“O Sindicato informou-nos também de que já interveio numa situação de despedimento ilegal na mesma associação, relativamente a um trabalhador que supostamente estaria com contrato a termo, mas que afinal já estava efetivo”, referem.

O Bloco mostra-se solidário com os trabalhadores e o sindicato, mostrando a sua disponibilidade para atuar com “todas as formas de luta que evitem que estas situações se repitam.”

Deixe o seu comentário

Skip to content