Situações insólitas arco-iris

LGBT-bandeira-22
Por nikitavas

Olá, desta vez é mesmo a Maggie Ribeiro a falar. Porquê?

Porque venho aqui hoje desabafar um episódio triste a que assisti no outro dia e este blog também serve para tentar mudar alguma coisa.

Como sabem, o Visiunarte fez 10 anos e prontificámo-nos a fazer uma grande festa, festa essa que durou até às 6h da manhã depois de alguns de nós irmos ao NB (os mais velhos e sem filhos). Como puderam ver, o meu querido amigo Ismael Sousa, pode-nos revelar mais uma das suas “fabulásticas” criações. Um fato, com um tule de arco-iris, assim reflete a sua alma. Quem o conhece sabe bem que ele está-se nas tintas para o que dizem e pensam dele, pois é, eu venho aqui dizer que eu não me estou nas tintas, nem eu, nem os amigos dele, nós.

Acontece que o Ismael agora decidiu assumir o salto alto, confesso que ao inicio, quando o vi a primeira vez, me fez um pouco de confusão, sim, também eu tenho talvez uma mente fechada, a precisar de atualização, mas depois de se estranhar admito que se acaba por entranhar, e o problema não é esse. O problema está quando somos circulados por uma cambada de rapazes “demasiado” heterossexuais que preferem dispensar a sua bela noite a olhar e a gozar, a apontar para o meu amigo Ismael, que lá está, apenas se divertia connosco depois da nossa Gala, pergunto-me se ele se importasse com isso o que aconteceria… Como ele é um homem de H grande continuou divertido e alegre como sempre, tal como ele é. Mas admito que não consigo compreender o porquê das pessoas fazerem isto? Porque é que aquilo que a outra pessoa veste ou usa deve ser alvo de gozo ou pior?! Felizmente estávamos numa zona privilegiada da discoteca que impedia a passagem dos ditos energúmenos, mas foi o suficiente para perceber como a nossa sociedade é podre. Eu não vou dizer que há coisas que vejo que não me choca, por não estar habituada, por não me terem educado assim, claro que há! Como por exemplo esse grupo de rapazes imbecis que preferiram passar a noite a mostrar o seu lado “muito macho” a fazer pouco do meu amigo, mas eu acho que o respeito pelo outro é algo que deve ser superior a qualquer salto alto. O problema está só na atitude, no não tentar compreender, no não aceitar, no tratar mal, porque pode não se aceitar uma coisa, mas ter-se o pingo de noção e pelo menos olhar e andar. Ele pode usar o que ele quiser, como ele quiser, que ninguém tem nada a ver com isso! Eu sei que isto é só mais um texto chato sobre igualdade de género ou whatever, mas eu acho que é um episódio que mostra muita coisa. Como seria se ele estivesse sozinho? O que lhe fariam? Será normal eu ter medo de ele andar sozinho na rua, sendo ele próprio e do que lhe possam fazer? Desde o fim de semana que venho a matutar neste assunto, revolta-me.

Sabem, o nosso amigo Miguel, que é bastante heterossexual e muito bem comprometido defendeu-o, sem vergonha, sem medo, porque é um rapaz de grande valor, eu também o defendi, depois de contar meia hora em que os ditos não desamparavam a loja. Porque é que nós, o grupo de amigos dele e ele temos de contar meia hora à espera de que uns imbecis parem de gozar com o nosso amigo? Não consigo conceber, não consigo entender. São tão machos que preferem passar o tempo a rir de um rapaz de saltos altos que está na sua vida? Não tem por lá uma rapariga jeitosa que lhes ocupe a vista?

Enfim, isto é só um desabafo.

Este tema também já foi muito falado, mas para quem não sabe o Ismael ultrapassou um cancro gravíssimo e talvez por isso se esteja a marimbar se anda de sapatilhas ou de sapatos, ele gosta, ele usa. Aí está mais uma questão, as pessoas olham, as pessoas olham e falam, as pessoas olham e gozam, mas as pessoas não conhecem, as pessoas não sabem e as pessoas não respeitam nada nem ninguém.

Para mim ele é uma pessoa única e estrondosa, corajoso acima de tudo. Ele é o meu grande amigo e eu vim só aqui dizer que eu tenho muito orgulho nele e em todos os seus sapatos e cores que ele decida usar, por mim ele até podia aparecer de vestido, saia ou o que fosse porque isso não iria fazer dele menos pessoa linda e maravilhosa do que ele é. Eu não tenho vergonha dele, nem do dedo mindinho do pé dele e nenhum de nós tem, ele é força, ele é luz, ele é forte.

Já agora ele estava fantástico e esta é uma foto que prova isso.

Oxalá toda a gente fosse tão bem resolvida como ele. Oxalá houvesse mais amor no mundo.

Maggie Ribeiro

Artigo originalmente publicado em https://www.visiunarte.com/post/situa%C3%A7%C3%B5es-ins%C3%B3litas-arco-iris

visiunarte-ismael-2022

Related Posts
Ler Mais

Invertem-se os tempos, extinguem-se as vontades – Parte IV

"Claro está, um povo como o cristão europeu medieval que conseguia manter uma postura firme de frieza e crueldade com o seu povo servente, mas todos os domingos escutava a palavra de Cristo sobre todos sermos irmãos e que só os pobres entravam no reino de Deus, simboliza uma contradição entre a devoção religiosa e a real prática moral. Um povo tão contraditório nunca poderia aceitar estrangeiros como os judeus, ou os negros ou os índios, são todos inferiores perante os magníficos povos europeus descendentes de bárbaros, como diriam os romanos. O canibalismo moral, que tanto os conservadores como os liberais praticam, destrói a imagem da virtude ética que eles próprios ambicionam (como desejar uma sociedade virtuosa em nome de Deus, diabolizando em simultâneo o SNS, um exemplo de canibalismo moral)."
Covid-19
Ler Mais

Está difícil acordar deste pesadelo!

Queremos/desejamos que rapidamente nos permitam programar/projectar o reinício das nossas vidas “normais”. Mas está difícil e parece mesmo…
Skip to content