Comemoram-se 45 anos da DEMOCRACIA e das LIBERDADES instauradas em Portugal. O fim da Ditadura Fascista, proporcionou conquistas sociais, económicas e culturais que a Constituição da República acolheu e foram a fonte
para um acelerado desenvolvimento do País com uma relevante participação dos trabalhadores e das populações.

Com a Revolução do 25 de Abril, para além das liberdades coletivas e individuais os portugueses puderam usar livremente o seu direito de votar e serem eleitos para os órgãos do poder e em particular para os órgãos do poder local.

Os órgãos autárquicos, Câmara Municipal, Assembleia Municipal, Junta de Freguesia e Assembleia de Freguesia são frutos que Abril nos deixou. Nas Assembleias o poder chegou mais perto dos cidadãos e estes passaram a ter um instrumento onde podem ser ouvidos pelos órgãos do poder local.
Quatro décadas e meia da nossa democracia são uma importante ocasião para se comemorar o 25 de Abril nos diferentes concelhos do Interior, que apesar de muitas melhorias,

infelizmente continuam a sofrer com os efeitos do interiocídio com que a generalidade dos governos centrais têm votado o interior, agora apelidado de Região de Baixa Densidade.

Nos últimos anos, foram muitos os serviços públicos que fecharam, nomeadamente Escolas, Centros de Saúde, Tribunais, Estações de Correios, Postos da GNR e até Juntas de Freguesias, sempre com o pretexto da poupança
e paralelamente criando e aumentando todos os anos portagens em antigas Scut`s. Estas decisões têm aumentado as assimetrias sociais, culturais e económicas, dando origem a uma menor coesão territorial.

Por tudo isto, ao comemorarmos Abril é sem dúvida alguma, levantar bem alto as bandeiras da Democracia, da Liberdade, da Justiça e do Poder Local Democrático.

Mas também é RESISTIR e relembrar que NÃO DESISTIMOS DE VIVER AQUI.
Não temos medo de gritar, não baixaremos os braços, lutaremos com toda a nossa força!
O INTERIOR É DE TOD@S! “25 de Abril, SEMPRE”

Outros artigos deste autor >

Ativista associativo, desde novo com grande participação no Movimento Estudantil. De 2008 a 2012 foi Presidente da Associação Académica do Instituto Politécnico da Guarda. Licenciado em Animação Sociocultural, é proprietário de uma empresa de Animação & Eventos. Atualmente é membro externo do Conselho Geral do IPG. Membro da Comissão Coordenadora Distrital da Guarda do BE e Deputado Municipal na Assembleia Municipal da Guarda.

Deixe o seu comentário

Skip to content