Passaram 12 anos da suspensão do serviço. Foram precisos mais de 70 milhões de euros para concluir esta obra que teve várias fases e pausas de vários anos entre elas, tendo o governo PSD/CDS desistido deste troço.

Haverá 6 viagens por dia, em cada sentido, 4 intercidades e 2 regionais. Em ambos os serviços haverá paragem em Caria, Belmonte e Maçainhas.

Os dois regionais terão o mesmo número de paragens e de tempo de viagem que os intercidades. Comparando com o passado, ficam de fora as paragens do Sabugal e de Benespera.

Os comboios Intercidades da Beira Baixa, entre Covilhã e Lisboa, passam a partir e chegar à cidade da Guarda.

A viagem da Guarda a Lisboa, pela Linha da Beira Baixa, será, no mínimo, de 4 horas e 10 minutos.

O Intercidades da Beira Alta, entre Guarda e Lisboa, também vai sofrer uma alteração por dia, por sentido.

O primeiro comboio entre Guarda e Lisboa partirá da Covilhã, seguindo para a Guarda e daí até à capital, pela linha da Beira Alta, numa viagem de cinco horas e 18 minutos.

O último comboio entre Lisboa e Guarda terá como destino a Covilhã, depois de ter passado por toda a Beira Alta. A viagem vai demorar cinco horas e oito minutos.

Esta alteração é temporária, visto que está previsto para o final deste ano o encerramento do troço Pampilhosa-Guarda, da linha da Beira Alta para obras de modernização por 9 meses, até junho de 2022.

Linha da Beira Alta vai sofrer intervenções mas os comboios não andarão mais depressa

Voluntários mantém linha ferroviária entre o Pocinho e o Côa por amor aos comboios

One Comment

Deixe o seu comentário

Skip to content