Bairro da Boa Esperança em Castelo Branco é cenário de anomalias constantes no sistema de drenagem de águas residuais urbanas, por avaria dos equipamentos, com afetação clara da qualidade de vida dos moradores do bairro. Esta é uma zona residencial, com uma escola pública e equipamentos desportivos, constantemente sujeitos a um cheiro nauseabundo.

Os moradores estão revoltados com uma situação que se arrasta há demasiado tempo e não vêem solução à vista. O problema já é do conhecimento da Agência Portuguesa do Ambiente, e já foram enviadas várias participações ao SEPNA (Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente).

Em face à inatividade do município os moradores do Bairro da Boa Esperança promoveram a recolha de análises das águas residuais, para fazerem prova da realidade que vivem todos os dias. Os resultados excederam em muito os valores paramétricos. A situação é ainda mais preocupante pelo facto destes terrenos serem usados para o cultivo de produtos hortícolas para consumo próprio.

O Bloco de Esquerda teve conhecimento desta situação com base nos relatos dos moradores e já reagiu em comunicado questionando a estratégia pública dos Serviços Municipalizados de Castelo Branco que publicitam uma “estratégia que procura um serviço de excelência na distribuição da água, recolha e saneamento das águas residuais, recolha de resíduos urbanos, higiene e limpeza urbanas.” e deixam os munícipes expostos a estas situações.

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content