A empresa Confeções Trindade, localizada na freguesia do Tortosendo, concelho da Covilhã, despediu 50 trabalhadoras após as ter obrigado a tirar férias. É uma denúncia que se encontra em despedimentos.pt .

As trabalhadoras desta empresa terão sido apanhadas de surpresa pois estavam em casa com a desculpa de falta de encomendas, tendo sido obrigadas a tirar férias, algo que é ilegal antes de 1 de maio. Esta semana cartas de despedimento sem terem qualquer aviso.

Além deste caso, e em nota da União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) também são referidos 144 trabalhadores temporários despedidos da APTIV, ex-Delphi, no concelho de Castelo Branco.

A USCB diz “recurso ao lay-off está em crescendo, abrangendo mais de 20 empresas e perto de três mil trabalhadores e prevê-se que nos próximos dias esses números cresçam exponencialmente. Ora, como se sabe, por vontade e opção injusta do governo, o lay-off não cobre a totalidade da remuneração dos trabalhadores. Assim, a USCB considera que nada impede as empresas de suportar a diferença entre o que paga a Segurança Social e a remuneração líquida de cada trabalhador, tanto mais que durante o lay-off fica isenta de pagamento à Segurança Social e, finalizado este, a empresa ainda vai receber um salário mínimo por trabalhador. Há empresas que vão ganhar dinheiro com o lay-off”.

As informações da União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) dizem que já há “largas centenas de trabalhadores que foram lançados no desemprego” no distrito de Castelo Branco.

Deixe o seu comentário

Skip to content