Paulo Seara lançou o seu quarto livro, o terceiro de poesia. “Esparguete com Óleo e Sal” trata-se de uma recolha poética escrita entre 2014 e 2019 com um título insólito. O Interior do Avesso ficou curioso e falou com o autor.

“Este livro resultou da recolha de poemas escritos em Edimburgo de 2014 a 2019. Não foi uma época profícua para a criação poética, dado que tinha de me adaptar a um novo espaço, trabalho e vivências. À distância fui partilhando os meus poemas, em alguns casos publicados em blogues e revistas online, tal como o Pomar de Letras, e a Inefável, revista em rede de poesia”, explica Paulo Seara. 

O projeto já era para ter sido publicado em 2019, quando o autor solicitou a Daniela Costa, escritora e fundadora da Biografias por Encomenda, a revisão dos poemas, contudo, foi adiado por motivos pessoais. A sugestão do título, curioso e insólito, que também dá nome a um dos poemas da obra, partiu de Daniela Costa. O prefácio foi escrito pelo tradutor Pedro Silva Sena.

“Devido a um longo confinamento em 2020 retirei o projecto da gaveta e, com tempo e paciência, fiz-me à estrada, publicando em Outubro, em edição de autor. Teve de ser assim, dado o meu isolamento social e, em certa medida, intelectual na Escócia. Já vivia confinado antes do confinamento”, conta o autor.

Segundo Pedro Silva Sena, no prefácio, este trata-se de “um livro que reflecte a sua época, os anos da ressaca «troikista»”, “de um livro visceral, relato da ânsia de fugir do interior de um edifício invisível cujas paredes se aproximam cada vez mais – até esmagarem quem nele se encontrar”. 

Este é o quarto livro publicado de Paulo Seara, depois das publicações em formato digital “Livro Daninho” (2016) e “Take Away” (2017) pela Edições Bicho de Sete Cabeças, e da estreia em 2007 com “Crónicas do Demencial: o porquê do Síndrome Nilhoo”, um projeto com o amigo Rodrigo Melo, editado pela Corpos Editora.

“Nunca fiz da poesia, ou da arte, pois também sou pintor, um veículo de afirmação individual, dado que me considero o intérprete das ideias, procuro que a minha ausência se faça sentir. Posso falar de poesia durante horas, é um facto extraordinário como tão poucas palavras juntas, podem significar tanto. Não quero dizer que tudo o que faço deve ser encarado como voluntarismo, ou que as pessoas possam ver e agarrar o que lhes apetecer sem dar troco.” 

Para adquirir o livro, é necessário enviar mensagem privada ao autor (https://www.facebook.com/paulo.seara/ ou https://www.facebook.com/prseara). Os valores variam entre 8 euros  para encomendas feitas em Portugal e 10 euros no caso de um livro assinado, enviado da Escócia. 

“Auto-Estrada”, um dos contos de Paulo Seara, está a ser publicado no Interior do Avesso, dois capítulos a cada fim-de-semana. O conto pode ser acompanhado aqui.

O poema “O Grande Javali”, também do autor, publicado no Interior do Avesso, pode ser lido aqui

Deixe o seu comentário

Skip to content