A CooLabora assinou um protocolo com o Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto e a Junta de Freguesia do Tortosendo como forma de dar resposta aos alunos sem computador ou internet.

As adaptações no meio escolar no âmbito da pandemia estão a levantar questões sobre a igualdade no acesso ao ensino devido a várias questões, entre elas o acesso a material informático e a internet.

O protocolo assinado por estas três entidades pretende dar resposta às 60 crianças e jovens nesta situação e nesta freguesia, que os impede de “participarem com as mesmas condições tecnológicas das outras crianças e jovens na nova metodologia de ensino à distância encontrada para fazer face à pandemia Covid-19”.

Este protocolo vem no seguimento do projeto ‘Quero Ser Mais E7G’ que tem garantido, semanalmente, fazer “chegar às crianças e jovens em questão as propostas de trabalhos escolares criadas pelos professores”. Para este trabalho de entrega porta a porta, está envolvido também o Programa Escola Segura da GNR, o que para a CooLabora é prova da “importância das redes locais na intervenção social”.

Deixe o seu comentário

Skip to content