Foto por Paula Nunes | Esquerda.net

Uma delegação de trabalhadores da Beralt Tin & Wolfram (Portugal) vai promover uma concentração no próximo dia 11, na ACT da Covilhã. Exigem condições de trabalho e alertam para uma “situação gritante”, especialmente neste período de pandemia.

Segundo comunicado do STIM (Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira), nas Minas da Panasqueira, localizada em Barroca Grande, cuja exploração está concessionada à empresa Beralt Tin and Wolfram Portugal, do Grupo Almonty, “as condições de trabalho degradam-se a cada dia que passa”.

Para o STIM, sobretudo neste período de pandemia, é inaceitável que:

  • As máscaras de protecção estejam no gabinete do chefe e não sejam distribuídas à entrada da mina;
  • Não haja água para a lavagem das mãos e água potável para consumo;
  • Não haja álcool-gel nos locais de trabalho;
  • Não seja feita desinfecção de máquinas, equipamentos e instalações, nomeadamente, o balneário.

“Outras violações em matéria de segurança e saúde no trabalho têm sido colocadas à ACT sem que esta se digne sequer a responder, nomeadamente, falta de higiene nos locais para toma das refeições, falta de ventilação na mina, iluminação deficiente, falta de condições para aquecimento das refeições”, entre outras.

Neste sentido, o sindicato convoca greve para dia 11, para tornar possível a deslocação dos trabalhadores para a concentração às 14H30 junto à ACM na Covilhã.

 

Greve nas Minas da Panasqueira entre 15 e 20 de junho

Minas da Panasqueira desrespeitam regras de saúde e segurança

Deixe o seu comentário

Skip to content