A Infraestruturas de Portugal (IP) aguarda a Avaliação de Impacte Ambiental para avançar com a eletrificação do troço da Linha do Douro entre Marco de Canaveses, distrito de Porto, e Peso da Régua, distrito de Vila Real.

“Após a obtenção da respetiva aprovação, a IP estará em condições de poder avançar com o lançamento da empreitada, o que, nesta fase, se estima possa ocorrer até final deste ano”, adiantou a IP à agência Lusa.

A eletrificação deste troço envolve um investimento global estimado de 46,6 milhões de euros. Está neste momento a decorrer o processo de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA). 

A Associação Vale d’Ouro manifestou esta semana “apreensão”, em comunicado divulgado terça-feira, segundo a Lusa, por ainda não ter sido lançada a obra de eletrificação do troço Marco-Régua, nem o projeto do troço Régua-Pocinho.

Sobre a modernização do troço Régua-Pocinho (no distrito da Guarda), a IP referiu à Lusa que está “a desenvolver o processo para lançamento da fase de estudos e projeto”, aguardando a “autorização da tutela”.

A eletrificação do troço Marco-Régua insere-se no Programa Ferrovia 2020. Além dos atrasos na execução deste programa, um relatório da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes conclui que dos 3,1 mil milhões de euros que se deveriam ter realizado entre 2015 e 2024, só se concretizaram ainda 382 milhões de euros, o que equivale a uma taxa de execução de apenas 12%.

Deixe o seu comentário

Skip to content