Foto de Ana Mendes

Num momento em que o país está confinado, Marisa Matias regressou à sua aldeia, Alcouce, e alertou para a falta de serviços públicos e cuidados no interior.

Moram em Alcouce cerca de 80 pessoas. Marisa viveu na aldeia desde que nasceu até aos 23 anos, altura em que terminou a licenciatura. A eletricidade chegou a Alcouce em 1981, quando Marisa tinha cinco anos. A água canalizada chegou em 1989, quando a candidata tinha 13 anos.

Esta quinta-feira, Marisa Matias voltou a Alcouce. Porque não esquece a sua terra, não esquece as suas origens “e porque é importante percebermos em todos os contextos que o país é muito diverso, nem toda a gente vive com as mesmas condições”.

A eletricidade e a água já chegaram à aldeia, “mas faltam serviços e cuidados, como faltam em tantos lugares do país”.

Hoje voltei à terra onde cresci: Alcouce. Vou lá muitas vezes, é onde vive a minha família, é onde me sinto em casa....

Publicado por Marisa Matias em Quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

“Num momento em que o país está todo confinado e as aldeias e o mundo rural não são exceção”, a candidata quis mostrar isso mesmo: “o confinamento num sítio onde faltam serviços mas onde as pessoas estão a cumprir e a contribuir para que possamos ultrapassar em conjunto esta situação muito difícil que estamos a viver”.

“Estou aqui hoje em nome de todo o país, em nome das pessoas que estão a responder para combater a pandemia confinando-se e protegendo-se a si e aos outros”, afirmou Marisa Matias em declarações aos jornalistas.

É uma “homenagem às pessoas que se fecham para se protegerem e àquelas que estão na linha da frente e que aguentam este país”, frisou.

Questionada sobre a necessidade de implementar medidas de confinamento mais restritas, a candidata afirmou-se “favorável a todas as medidas que nos permitam salvar vidas”. Mas destacou a urgência de garantir medidas como o apoio para as famílias que estão a viver com muitas dificuldades, o apoio a famílias na linha da frente, garantindo serviços de que estas necessitam, e os apoios para crianças com deficiência e com necessidades educativas especiais.

Notícia publicada no Esquerda Net.

Relacionados:

Deixe o seu comentário

Skip to content