Depois do foco de poluição que aconteceu no rio Alfusqueiro, na barragem das Caínhas, e levou à morte de várias dezenas de peixes. Também denunciado pela Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda e que foi confirmado pelas autoridades competentes. Agora, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Frades afirma que “as autoridades vão ter de provar que a ETA provocou” esse foco de poluição. 

De acordo com o Jornal do Centro, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Frades, Paulo Ferreira, referiu na última reunião pública do executivo municipal que a GNR e a APA vão ter que provar que o foco de poluição que aconteceu em junho na barragem das Caínhas, no rio Alfusqueiro, foi provocado pela Estação de Tratamento de Água (ETA) do concelho.

O autarca ainda revelou que a autarquia vai realizar um estudo próprio para esclarecer quais foram as causas do foco de poluição. Paulo Ferreira deixou críticas à atuação da GNR e da APA, já que “há aqui muito agentes que não sabem o que é colocar em alvoroço o bem-estar da saúde pública, mas como não temos ainda dados concretos, e estou muito ansioso para que os tenha, não vamos estar a dizer isso”.

Lembramos que o foco de poluição em questão afetou a barragem das Caínhas, no rio Alfusqueiro, e levou à morte de dezenas de peixes foi confirmado pelas autoridades competentes, nomeadamente a GNR e a APA que apontaram a origem na ETA do concelho de Oliveira de Frades. 

Esta situação foi denunciada também pela Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda que referiu “poluir os nossos cursos e reservas de água é poluir todo um ecossistema e atentar contra a saúde pública. Rejeitamos que qualquer interesse se sobreponha ao equilíbrio ecológico, à saúde ambiental e à qualidade de vida das populações”, apelando também “à intervenção de todas as autoridades no sentido de encontrar os responsáveis destas descargas, de forma a que não se repitam novamente.”

Deixe o seu comentário

Skip to content