População revoltada com o encerramento do Centro de Saúde do Caramulo

Centro de Saúde do Caramulo
Foto por Município de Tondela | Facebook
Depois da colocação de um aviso na porta do Centro de Saúde onde se pode ler: “Por motivos de falta de pessoal auxiliar, o posto médico estará encerrado até data a confirmar”, a população da vila do Caramulo, no concelho de Tondela, está revoltada e indignada.

A Emissora das Beiras e o Jornal de Tondela ouviram na manhã de sexta-feira, 8 de janeiro, populares que dizem não se conformar com esta situação, sentindo-se “abandonados” pelas autoridades responsáveis.

António Cabrita Grade, diretor do Agrupamento dos Centros de Saúde Dão-Lafões, contactado pela Emissora das Beiras, admitiu que há falta de profissionais na área administrativa, garantindo que tudo está a ser feito para que o problema seja solucionado o mais brevemente possível.

 

Extensão de Saúde de São João de Areias encerrada desde março 

Também o Posto Médico de São João de Areias, no concelho de Santa Comba Dão, está encerrado desde o início da pandemia da covid-19, desde março. 

Esta estrutura pertence à Unidade de Saúde Familiar do Rio Dão e já passa por vários problemas há anos. Nomeadamente com a falta de profissionais e material médico, tal como falta de condições do próprio edifício do Posto, que está integrado no edifício da Junta de Freguesia. 

Esta situação já mereceu a mobilização da população local por algumas vezes, que aguarda que este problema se resolva, sobretudo com a construção do prometido novo Posto Médico. 

Esta unidade está fechada desde março obrigando assim os utentes a deslocarem-se para a sede do concelho, a 7 kms de distância.

 

 

Ministério da Saúde é questionado sobre quando irá reabrir o SAP de Mangualde

Moradores defendem o funcionamento pleno do SAP em Mangualde

1 comment
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Catarina-Martins-1
Ler Mais

“O país precisa de um acordo forte à esquerda”

Na Grande Entrevista da RTP, Catarina Martins afirmou que “o acordo de que o país precisa é para recuperar o SNS, os serviços fundamentais, para ter uma estratégia climática” e “que para isso é preciso clareza”.
Skip to content