Foto por Groupe PSA Centro de Mangualde | Facebook

De forma inédita, trabalhadores da PSA Portugal passam a ser representados no Comité Europeu da PSA por dois membros eleitos legalmente e com o apoio da Faurecia e PSAR e CT PSA Mangualde e Comissão sindical.

Os representantes da PSA Portugal (PSA Mangualde, PSAR, Faurécia)  para este quadriénio são os titulares Luís Claro e Paulo Reis da PSA Mangualde, com os suplentes Antonio Silva da PSA Mangualde e Carlos Andrade da PSAR.

Luís Claro prevê “quatro anos muito difíceis para conseguirmos dar a volta ao prejuízo destes anos todos por tão más representações”, assumindo que cabe aos eleitos “lutar e defender o melhor para as empresas do grupo em Portugal”.

Como objetivos principais têm constituir um “polo Ibérico com igualdades para juntos chegarmos a uma sociedade europeia social e financeira mais justa”, exigir a devolução do dinheiro do PPR tal como aconteceu nos Centros de Produção de Vigo e Madrid e resolver “o problema das partículas”.

Na questão das partículas o que está em causa são partículas de tinta libertadas para o exterior das fábricas. Os trabalhadores reivindicam uma resolução definitiva do problema e  uma indemnização pelos danos causados às suas viaturas. Este é um dos 11 pontos do caderno reivindicativo da Comissão de Trabalhadores do Centro de Produção da PSA/Citröen de Mangualde para 2020.

Deixe o seu comentário

Skip to content