Foto de António Afonso | Facebook

O enchimento da albufeira da barragem de Daivões, em Ribeira de Pena, estava projetado para junho, mas afinal só começará em outubro. A exploração comercial dará início em 2021. 

O Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET), que foi concessionado à empresa espanhola Iberdrola, inclui as barragens de Daivões, Gouvães e Alto Tâmega, todas no distrito de Vila Real, tem tido um processo conturbado. 

O projeto foi apresentado em 2009 e no ano seguinte deixou cair uma das quatro barragens inicialmente previstas por imposição da Declaração de Impacto Ambiental (DIA), as obras começaram em 2014 e espera-se que fique concluído em 2023. Segundo dados da Iberdrola, o SET vai ter um impacto em 59 habitações, 49 localizadas em Ribeira de Pena e destas, 43 são diretamente afetadas pela albufeira de Daivões. À Lusa, a empresa apontava para junho de 2020 o início do enchimento da albufeira, mas teve que adiar para outubro porque “as atividades necessárias para o fechamento do túnel de desvio do rio estão em curso neste verão. Em todo o caso, os caudais no rio durante o verão são muito baixos e o enchimento da albufeira, propriamente dito, não começará até ao final de outubro”.

Algumas famílias queixaram-se das indemnizações da concessionária espanhola existindo situações onde o valor oferecido não chegava para a construção ou compra de uma nova habitação. Os processos de desalojamento foram revistos e avançou-se para uma negociação. Em dezembro, ficou combinado o pagamento de mais 1,4 milhões de euros de indemnizações às famílias afetadas. 

No início deste ano trabalhavam no SET perto de 1800 pessoas, mas só pouco mais de 300 eram da região. Em março, com a pandemia da covid-19 e a grande mobilidade dos trabalhadores saltou o alarme para o risco de contágio e a autarquia da Ribeira da Pena pediu a suspensão temporária das obras das três barragens. Em abril, a Iberdrola informou que as obras estavam a andar ao ritmo normal “aproximadamente com 1000 trabalhadores e só 5% eram trabalhadores transfronteiriços.”

Lembramos que o SET é composto por três barragens (Gouvães, Daivões e Alto Tâmega) e totalizam uma potência de 1158 megawatts, alcançando 6% do consumo elétrico do país. Entretanto, em 2010, a DIA chumbou a barragem de Padroselos por causa do mexilhão-de-rio- do Norte, uma espécie protegida pela legislação europeia. 

Os concelhos afetados pele SET são Ribeira de Pena, Boticas, Vila Pouca de Aguiar, Chaves, Valpaços, Montalegre e Cabeceiras de Basto.

Deixe o seu comentário

Skip to content