Foto de Autocarros do Grande Porto | Facebook

A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Viseu questionou todas as Câmaras Municipais do distrito relativamente à reposição de horários e medidas de segurança adotadas nos transportes públicos rodoviários, que consideram estar muito aquém da oferta pré-pandemia.

Não é a primeira vez que o Bloco aborda o tema dos transportes, sendo que no dia 13 de maio referiam em comunicado que “é preciso Agir com Urgência! O Bloco de Esquerda lança este alerta com a exigência do restabelecimento urgente do transporte coletivo pré-pandemia e com a visão de melhorar todo sistema de forma a respeitar todas as medidas de contenção da propagação da Covid-19”, alertando para a redução da oferta de horários e de linhas de autocarros quando comparado com o período anterior à crise pandémica.

Para o Bloco, o aumento de transportes resultante do regresso às aulas dos alunos do 11º e 12º, a reabertura das creches e do pré-escolar e o consequente regresso ao trabalho de muitas pessoas não foi suficiente, ficando ainda aquém da oferta anterior à pandemia. 

Para a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda é necessário otimizar os transportes públicos para que não existam riscos para a saúde pública, colocando a possibilidade da criação de mais horários ou de “desdobramentos nos horários de maior afluência (2 viaturas a realizar a mesma linha no mesmo horário)”. Alertam ainda que “transportes públicos poderão configurar uma alternativa de transporte fundamental no apoio às pessoas com quebras de rendimentos provocadas pela crise pandémica, mas para tal têm de configurar também uma alternativa segura.”

Nestas questões colocadas às Câmaras do Distrito de Viseu pretendem perceber “quando será reposta a totalidade dos horários pré-pandemia; que esforços estão a ser feitos junto das Comunidades Intermunicipais (CIM) para reposição dos horários; que medidas estão a ser tomadas que permitam dar resposta às necessidades de transporte das populações e para que os transportes públicos sejam seguros em termos de saúde pública.”

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda já tinha questionado a Câmara Municipal de Viseu no dia 30 de maio sobre a sobrelotação dos transportes públicos e os riscos inerentes para a saúde pública.

Deixe o seu comentário

Skip to content