Foto por Interior do Avesso

Após uma visita à Central de Biomassa do Fundão, a comitiva do Bloco de Esquerda composta pela deputada da Assembleia da República Maria Manuel Rola, a deputada municipal Cristina Guedes e membros da Distrital e do Núcleo Concelhio do Fundão, contactou os moradores prejudicados pela instalação e laboração daquela infraestrutura. Desde barulho a poeiras, o sossego destas pessoas acabou.

A visita realizada à Central serviu para perceber o funcionamento, as medidas de mitigação que a empresa tem adotado, tal como a matéria prima utilizada. Os bloquistas afirmam que “a matéria prima utilizada levanta dúvidas ao nos terem dito que não existe um planeamento da biomassa que será utilizada, ou seja, as previsões são feitas dia a dia o que leva a uma certa instabilidade”.

Relembramos que as centrais de biomassa do Fundão e Viseu vão custar 226 milhões de euros em subsídios durante 15 anos,a ZERO já exigiu a “suspensão imediata” dos subsídios à produção de energia elétrica a partir de biomassa nestas centrais uma vez que “não contribuem para a melhoria da gestão florestal ou redução do risco de incêndio”.

A Zero constatou no terreno que as duas novas centrais de biomassa de Fundão e Viseu estão a queimar, na totalidade ou praticamente na totalidade, respetivamente, madeira de qualidade, não utilizando, como seria desejável e está contratualizado, biomassa residual. (Associação Zero exige suspensão imediata dos subsídio das centrais de biomassa do Fundão e de Viseu)

Após a visita, os membros do Bloco de Esquerda tiveram a oportunidade de conversar um pouco com os moradores afetados pela instalação daquela Central, que fica bastante próxima de algumas habitações. 

Maria Manuel Rola informou que “vamos pedir os relatórios das inspecções feitas pela IGAMAIOT às centrais e continuaremos a bater-nos pela resolução deste problema a favor das populações”. 

Cristina Guedes, deputada municipal do Bloco na Assembleia Municipal do Fundão, referiu que “temos insistentemente feito pressão para que a vossa voz seja ouvida, a localização da central nunca deveria ter sido esta, tão próxima das vossas casas. Também temos questionado pelo tipo de matéria prima utilizada porque o que realmente vemos são rolos inteiros”.(Central de Biomassa do Fundão: Matéria-prima utilizada levanta dúvidas

A Câmara Municipal do Fundão está a realizar mais testes de ruído para auferir se a Central está ou não dentro da Lei Geral do Ruído. Já é o terceiro teste de ruído que a Central de Biomassa é alvo. 

(Escrito por DG)

Deixe o seu comentário

Skip to content