Foto de Jóni Ledo

Vários milhares de pessoas percorreram as ruas de Bragança em silêncio para exigir justiça para Luís Giovani, o estudante cabo-verdiano assassinado nesta cidade no final do mês de dezembro.

Até ao momento não foram encontrados ou acusados os autores da violenta agressão a Luís Giovani na noite de 21 de dezembro, que deixou o jovem em coma, acabando por falecer no último dia do ano. De acordo com os relatos das testemunhas tudo começou num desacato num bar e acabou já na rua, onde um grupo de 15 rapazes armados com cintos, ferros e paus, atacou os quatro amigos cabo-verdianos.

O triste desfecho e a falta de resposta por parte das autoridades motivou a realização de várias concentrações de homenagem ao estudante cabo-verdiano um pouco por todo o país.

Em Bragança a marcha silenciosa foi convocada pela Associação de Estudantes Africanos em Bragança. Teve início no campus do Instituto Politécnico de Bragança, que apoiou a organização, e percorreu as ruas da cidade até à Sé. Contou com a participação de toda a comunidade universitária, colegas da escola superior de Mirandela onde estudava Giovani, e muitos habitantes de toda a região.

Deixe o seu comentário

Skip to content