José Silvano, secretário-geral e coordenador autárquico nacional do PSD, apresentou no início de março 101 candidatos a presidentes de câmara em todo o país, o que apanhou de surpresa alguns autarcas e dirigentes locais.

Entre as muitas reações, inclui-se a de Paulo Santos, autarca de Sátão, no distrito de Viseu, que prontamente negou a recandidatura. Segundo o Jornal do Centro (JC), apesar do partido ter dado como certa a recandidatura, o autarca, no primeiro mandato, diz que não vai a votos. “Não tivemos qualquer reunião e nem abordámos sequer o assunto, mas posso dizer que a decisão já foi tomada e não serei candidato à Câmara de Sátão”, afirmou o presidente da Câmara de Sátão.

Ainda no distrito de Viseu, também o autarca de Mortágua, Júlio Norte, se demonstrou surpreendido ao JC. Eleito como independente em 2017, optou por não se pronunciar sobre a recandidatura, não tendo ainda tomado qualquer decisão.

Mas neste distrito o espanto não se fica por aqui. Em Tondela, segundo o Tondela Blog, quem ficou surpreendido com o anúncio da recandidatura de José António Jesus foi a própria estrutura local… Afinal o atual presidente e o seu vice-presidente encontram-se sob um processo judicial. Mas ao que consta, José António de Jesus não terá perdido tempo, já reuniu os presidentes de junta e confirmou a recandidatura.

O autarca de Bragança, Hernâni Dias, também se declarou “estupefacto” com a decisão “precipitada” do PSD. “A minha reação é de estupefação com o anúncio que me parece precipitado”, afirmou à Lusa, reiterando que foi “com alguma surpresa” que assistiu à apresentação feita por José Silvano. O seu nome consta na lista, apesar de não ter sido previamente contactado pelas estruturas nacionais do partido.

Já o autarca de Carrazeda de Ansiães, também no distrito de Bragança, joga à cautela e, embora agradecendo a nomeação surpresa, aguarda pelas posições das estruturas locais. “Embora agradecendo a confiança e reconhecimento da Comissão Política Nacional do Partido Social Democrata, qualquer decisão apenas será tornada pública após a pronúncia das Comissões Políticas Concelhia e Distrital”, declarou ao Diário de Trás-os-Montes.

Em Oleiros, Castelo Branco, o presidente da Câmara Fernando Marques desabafou à Lusa considerar “um abuso de confiança ” ver a sua recandidatura anunciada sem que ninguém o tenha contactado para a confirmar.

O presidente da distrital albicastrense, Luís Santos, apesar de preferir ler o anúncio dos 101 autarcas como um “voto de confiança”, não deixou de admitir à Lusa que os três nomes avançados para Oleiros, Vila de Rei e Fundão não tinham ainda sequer sido aprovados pela distrital. “Temos estado a trabalhar com o cronograma definido pela comissão política nacional. Não temos nenhum candidato aprovado”, afirmou.

Entretanto foram anunciados na sexta-feira passada mais 51 nomes… Terão terminado as confusões? Será caso para dizer que se aguardam os desenvolvimento na sequela deste filme.

Deixe o seu comentário

Skip to content