A Infraestruturas de Portugal (IP) anunciou o investimento de 5,8 milhões de euros na reabilitação da Linha Ferroviária do Douro, no troço entre o Pinhão (Alijó) e Tua (Carrazeda de Ansiães). A obra tem um prazo de execução de 300 dias.

“Foi consignada a empreitada de beneficiação da superestrutura de via, entre os quilómetros 127,059 a 139,500, no troço Pinhão – Tua”, pode ler-se em comunicado da IP. A obra já iniciou no passado dia 15 de março, tendo sido adjudicada por 3,6 milhões de euros, aos quais se somam cerca de 2,2 milhões de euros relativos aos materiais.

Os trabalhos inserem-se no Plano de Reabilitação da Linha do Douro em curso e contemplam a substituição integral das travessas de madeira por travessas de betão bibloco e também, a substituição de carril e ainda a transformação de barra curta em barra longa soldada.

A intervenção entre os concelhos de Alijó, distrito de Vila Real, e Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança, visa a “melhoria dos níveis de segurança, qualidade, fiabilidade e disponibilidade da infraestrutura”, assim como a “melhoria dos níveis de conforto e comodidade para os passageiros” e a redução dos custos de manutenção”.

No passado dia 12 de março, a Assembleia da República aprovou, por unanimidade, os projetos de resolução que defendem a requalificação da Linha do Douro e a reabertura do troço Pocinho – Barca d’Alva. 

A Deputada do Bloco de Esquerda, Isabel Pires, apresentou o projeto de resolução para a requalificação da Linha do Douro, alertando que “Trás-os-Montes e o Alto Douro já esperaram demasiados anos para que a requalificação desta linha tivesse a sua conclusão”. 

População sem esperança que comboio regresse a Barca d’Alva

Requalificação da linha do Douro: “É fundamental corrigir este atraso de décadas”

Deixe o seu comentário

Skip to content