Foto do semanário SOL

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda quer saber se “existem outras hipóteses em estudo para a ligação do IP3 a Santa Comba Dão” e se o Governo tem conhecimento da concessão termal existente no Granjal. 

Numa pergunta dirigida ao Ministério das Infraestruturas e Habitação, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda refere que no projeto de requalificação/duplicação do IP3 “está prevista a construção de um novo troço denominado Variante Nascente de Santa Comba Dão, a unir o IP3 desde o nó do Rojão até ao nó de Treixedo/Vila Pouca”. 

Para o partido, “as justificações são financeiras. Alegadamente fica mais barato fazer este novo troço com duplicação de via do que duplicar a via já existente do IP3”. 

O Bloco considera que “o troço crítico para a duplicação da via do IP3 (km 83,7 até 84,7) entre a ponte da Linha da Beira Alta e a ponte sobre o rio Dão, de um quilómetro, pode ficar com o atual traçado requalificado e devidamente sinalizado”. 

Os bloquistas estranham ainda que a Câmara Municipal de Santa Comba Dão não tenha fornecido qualquer tipo de documentação ao processo de consulta pública sobre a concessão hidrotermal do Granjal.

Nas perguntas dirigidas ao Governo, o Grupo Parlamentar do Bloco quer saber se existem outras hipóteses em estudo para a ligação do IP3 em Santa Comba Dão e se a tutela tem conhecimento da concessão termal referida que existe na zona onde a variante vai incidir. 

Relacionados:

2 Comments

Deixe o seu comentário

Skip to content