Mês da História LGBTQIA+

Fevereiro é o mês da História LGBTQIA+. Celebrado todos os anos no Reino Unido, é desde 2005 que neste mês se pretende celebrar as vidas e as conquistas da comunidade LGBT+.
bandeira LGBTQIA+ na Biblioteca Municipal de Viseu. Plataforma Já Marchavas
Foto Plataforma Já Marchavas

Almejando conhecer o passado para perceber e celebrar o presente, assim como planear o futuro, neste mês o Leituras Queer resgata obras e rostos que nos informam sobre o percurso de vida da história LGBTQIA+ em Portugal. Da literatura ao cinema, do ensaio académico ao romance, são várias as obras que nos permitem organizar o pensamento sobre o longo caminho da História que este mês celebra. Curiosxs? Venham daí para uma jornada literária cheia de cor!

Homossexuais no Estado Novo

Esta é uma primeira tentativa de abordagem do que foi a realidade dos homossexuais em Portugal durante praticamente todo o século XX, ou seja, desde que a jovem Primeira República, enquadrada pela psiquiatria, coloca sob a alçada da lei os crimes contra a natureza até que estes o deixam de ser, em 1982. O que era ser homossexual em Portugal? O que é viver uma condição estigmatizada e estigmatizante, em que não há identidade, tão-só uma afetividade e uma sexualidade, quase sempre clandestinas?

ISBN: 9978-989-676-021-2 Editor: Sextante Editora (chancela) Páginas: 240

Filhas de Safo: Uma História da Homossexualidade em Portugal

Um livro sobre a homossexualidade feminina em Portugal, com recurso a fontes literárias, documentos do Tribunal da Inquisição e legislação civil. Da condenação social à noção de pecado, crime ou doença, tentando identificar as personalidades mais relevantes que amavam outras mulheres. Muito presente na esfera privada, a homossexualidade feminina não terá deixado de lavrar em mosteiros, conventos, recolhimentos, lupanares, hospitais, colégios e prisões, mas igualmente de forma discreta em casas particulares, quer em meios urbanos quer rurais.

ISBN: 9789724742922  Editor: Texto Editores Páginas: 152

O Fim do Armário: Lésbicas, Gays, Bissexuais e Trans no Séc. XXI

Ninguém é realmente livre se a liberdade não for para todos. O Fim do Armário é uma crónica notável das mudanças experimentadas por lésbicas, gays, bissexuais e trans no século XXI, mas não foi escrito apenas para eles. É um livro para leitores de todas as orientações e identidades de género, que conta uma série de histórias e explica coisas que a maioria dos leitores desconhece.

Avanços e retrocessos, mitos e preconceitos, alegrias e tristezas, tudo interessa a Bruno Bimbi, que integra, nesta narrativa corajosa, histórias pessoais e coletivas de todo o mundo. O livro fala de homofobia e transfobia, mas também de racismo e antissemitismo. Desfilam pelas suas páginas o papa Francisco, os pastores evangélicos brasileiros, Jair Bolsonaro, Nicolás Maduro, os clérigos iranianos e a extrema-direita espanhola, mas também Alan Turing, Pedro Zerolo, Laverne Cox, Rosa Parks e as travestis rebeldes de Stonewall.

O Fim do Armário é o segundo livro de Bruno Bimbi, já publicado na Argentina, no Brasil, no Peru, em Espanha e no México. Atualizada pelo autor, esta edição portuguesa contém um novo capítulo sobre Jair Bolsonaro e a extrema-direita europeia e fala também sobre o perigo representado pelo fundamentalismo religioso em todo o mundo.

ISBN: 978-989-676-039-7 Editor: Sextante Editora Páginas: 372

Cinema e Cultura Queer

No ano da 18ª edição, o Queer Lisboa comemora o aniversário da sua maioridade simbólica com Cinema e Cultura Queer que, além de uma selecção das resenhas críticas dos filmes inseridas nos catálogos das edições anteriores, bem como os textos de fundo das secções Queer Art, Queer Focus, Queer Pop e Hard Nights e de um capítulo dedicado à cinematografia gay portuguesa da década de setenta, inclui capítulos sobre cinema e cultura queer nacional e internacional e sobre o realizador John Waters, com inéditos assinados por colaboradores do festival e por autores convidados.

ISBN: 9789892049106 Editor: Associação Cultural Janela Indiscreta Páginas: 630

Indisciplinar a Teoria Estudos Gays, Lésbicos e Queer

Os estudos gays, lésbicos e queer constituem uma área de investigação que se encontra em expansão.

Este livro reúne textos de reconhecidos/as especialistas que, através do seu contributo, visam o reconhecimento do carácter autónomo e específico deste campo.

Além de divulgar o estado da arte entre a comunidade científica e o público português e de promover o conhecimento e o debate das questões levantadas pela reflexão queer mais recente, este livro visa estimular a investigação sobre as realidades da história, da cultura e da identidade gay e lésbica portuguesa.

Indisciplinar a teoria é, antes de mais, uma afirmação: esta é a hora para nos darmos conta de realidades para as quais a atual compartimentação disciplinar não se encontra preparada.

ISBN: 9896030014 Editor: Fenda Páginas: 338

A Confissão de Lúcio

A Confissão de Lúcio, considerada a mais importante obra de Mário de Sá-Carneiro, tem como base o triângulo amoroso entre Lúcio, o seu amigo Ricardo de Loureiro e a mulher deste, Marta.

Nesta novela escrita em forma de policial, o narrador, Lúcio, confessa a sua inocência, depois de ter passado dez anos na prisão acusado da morte de Ricardo, ocorrida em circunstâncias misteriosas e da qual a única testemunha é o próprio Lúcio.

Obra vanguardista, nela se encontram algumas das obsessões do autor: o amor pervertido, o suicídio, o sentimento de incompletude e de alienação do eu que lhe conferiram uma aura de poeta maldito.

ISBN: 9789722522526 Editor: 11 X 17Páginas: 144

O Barão de Lavos

Escrito por Abel Botelho e publicado em 1891, em Portugal, O Barão de Lavos é considerado o primeiro livro com um protagonista abertamente homossexual (ou bissexual, ou queer) de um romance em língua portuguesa. Sebastião, o barão do título, vive seduzindo jovens de classe baixa em Lisboa, ao mesmo tempo em que mantém um casamento de fachada. As coisas saem do seu controle quando se apaixona por Eugénio, um jovem que o leva à ruína financeira e se infiltra na sua família. Como uma obra do século 19, O Barão de Lavos apresenta a homossexualidade como doença, um sinal de decadência da sociedade, mas as suas personagens são escritas com tanta vividez e detalhe, que a sua humanidade sobrevive aos preconceitos da época.

ISBN: 979-8215272930 (ebook) Editor: INDEX ebooks Páginas: 380

O Mundo Gay de António Botto

Este ensaio reavalia a figura literária de António Botto como um fenómeno excepcional para a época, de um escritor que a partir do início dos anos 1920 corajosamente produz e coloca em circulação aberta (em revistas e livros acessíveis ao público leitor em geral) um discurso poético homoerótico sem precedentes no contexto não apenas português, mas também europeu e global.

O Mundo Gay de António Botto procura resgatar e dignificar a memória de Botto em face da sua reputação histórico-literária estabelecida como um «poeta menor», para muitos até «medíocre», acentuando o carácter extraordinário do seu trabalho cultural.

Botto conseguiu elevar-se das origens sociais humildes e estabelecer-se como um protagonista importante no meio literário português graças à sua escrita profundamente original, cujo mérito artístico e social era reconhecido por muitos que o apoiavam no seu percurso — com destaque particular para Fernando Pessoa — e que merece ser afirmado também na época contemporânea.

ISBN: 9789898902160 Editor: Documenta Páginas: 2018

Judith Teixeira: Obras Completas

Sob o influxo da celebração dos 100 anos do Orpheu, a Editora Edições Esgotadas edita a presença da poetisa Judith Teixeira, agora revisitada por Martim de Gouveia e Sousa na sua Lírica. É intenção do organizador da obra “mostrar a fisicidade da escrita de Judith Teixeira na sua plenitude, inteiramente. Abrindo caminho, rompendo as peregrinas trevas do desinvestimento afetivo, a autora liberta-se nestas páginas que são corporalidade e fogo poético.”
Nesta obra encontram-se reunidos, os poemas de “Decadência”, na sua 6ª edição, “Castelo de Sombras”, na sua 4ª edição e “Núa”, 3ª edição, bem como um conjunto dos seus Poemas dispersos, de traduções e versões.

ISBN:  9789898801425 Editor: Edições Esgotadas Páginas: 248

Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica

Depois de ver sucessivos livros seus apreendidos pela Censura do Estado Novo, Natália Correia aceitou o convite do visionário editor da Afrodite, Fernando Ribeiro de Mello, para organizar esta Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica. «Finalmente num único livro», prometia a cinta que acompanhava o volume, publicado em dezembro de 1965, «a poesia maldita dos nossos poetas», «as cantigas medievais em linguagem atualizada», «dezenas de inéditos» e «a revelação do erotismo de Fernando Pessoa». A obra causou escândalo e foi apreendida pela PIDE, com vários dos intervenientes julgados e condenados em Tribunal Plenário, num processo que se arrastou durante anos. É agora republicada pela primeira vez com as ilustrações originais de Cruzeiro Seixas, incluindo também novos textos introdutórios e reproduções de documentos que contextualizam um marco histórico na edição em Portugal.

ISBN: 972-608-110-6 Editor: Antígona/Frenesi Páginas: 486

Boas leituras!

Artigo Publicado em Leituras Queer

Logo-leituras-queer
 | Website

“Queer” = bizarro, excêntrico, estranho, não conforme. O termo serviu por mais de um século para associar a homossexualidade a doença, crime, pecado e exclusão social. Hoje, o conceito é usado como designação e/ou identificação da luta pessoal e/ou coletiva que critica e resiste às noções essencialistas de identidade.

Leituras Queer pretende ser um espaço de reflexão, partilha e divulgação de obras Queer e Feministas em português. Um espaço que, tornando visível as vidas Queer pretende desconstruir o tabu; a homofobia; os estereótipos e invisibilidade que continuam a ser alimentados num contexto internacional de ódio, conservadorismo e medo.

Este é um projeto que pretende empoderar, estimular o pensamento para novas práticas mais disponíveis para o diálogo horizontal e para a aprendizagem mútua.

Related Posts
Ler Mais

Auto-estrada XVI

XVI Era pela hora da cotovia e Tiago entreolhava Solange que adormecera, faz uma persignação mental, e olha…
Skip to content