O tempo que nos faltou

Foto de Victor Camilo | Flickr
O relógio fazendo tique-taque…
Me lembrando que o tempo passa
…tique-taque
Onde está você?
…tique-taque
O mundo girando apressado…
…tique-taque…
Alguém desliga esse relógio!

O tempo foi maldoso
E foi tudo tão rápido
Que não deu nem tempo de soletrar saudades
Por favor, me diga,
Quem mudou a gravidade,
para que eu vivesse aos seus pés?
Liberdade tem gosto de saudades…
Mas será que eu quero viver em uma prisão?
…tique-taque…
Eu sou o relógio fazendo tique-taque…
Eu sou o mundo girando apressado
E muito lento em alguns momentos
Quando você largou minha mão…
Nem o relógio fez tique…
Nem o relógio fez taque…
Nem o mundo girou depressa
O relógio falava bem baixinho
…fique, fique…

Outros artigos deste autor >

Ana Haeitmann tem 22 anos e é mestranda em literatura na Universidade Nova de Lisboa. Natural de São Paulo, Brasil, vive em Portugal há quatro anos. Escreve poemas, narrativas e artigos jornalísticos.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts
Jasmim
Ler Mais

Na Rua

No outro lado da rua o vento abana o ramo da árvore. Nesse momento de ver um ramo…
Ler Mais

Da Varanda

Passaste seca em cima do atrelado dum trator Sem as maias implantaste a dor naquele caminho onde havia…
Ler Mais

Salgueiro

Um homem com nome de árvore sonhou perfumar Um país deitado junto ao mar. Quis dar luz e…
Skip to content