O fervor de teu amor abriu em flor

Minha paixão segue as galáxias até Plutão

Tua mão macia em mim todo, acarinha minha alma.

Meus beijos colados à tua pele lançam os dados do prazer

Treme todo teu ser na plenitude dos carinhos

Numa altitude com toda a atitude.

Durmo no ninho da tua árvore

Abraças-me com ramos vestidos de líquenes 

Sonho na capicua perfeita do teu nome.

Apareces nua sob a luz do Sol refletida na Lua

Começo a arfar nesse luar

Da esquerda para a direita e da direita para a esquerda.

Concretizas os sonhos despidos de perfeitos genes 

E num raio de Sol sou e encontro a luz

Do beijo no teu farol.

Sinto o mundo inteiro perto do rosado rosto

Tão pintado no meu respirar calmo

Que pinga mel dos meus lábios nos teus.

A tua ausência penetra a presença em mim

Vivo o ritmo do teu pensar na minha essência de te amar

Não caio na ânsia da distância nossa.

Só deixo ir meu pensamento

Na leve entrega da minha alma sem calma

Dentro do teu coração.

Dás a mão e enches a taça vazia com cores dum novo dia

Atenta à emoção espalhas a estação das flores onde estou

Já sei o que sou.

Meu amor está pintado pela framboesa vestida numa princesa

Mais que pousar anos de incerteza e tédio sem remédio

Leio teu nome Ana da esquerda para a direita da direita para a esquerda sempre com luz solar.

Brilhas na curva do quarto crescente

Trazes no teu colo o desejo ascendente

Abanas as ondas sem turva visão na espuma marcadora da rota da paixão.  

Quero amanhecer duma noite inteira a amar-te no chão

Deixar a azenha beijar a ponta mais ocidental

Do meu corpo virado ao mar. 

É por ti que quero ser quem nunca fui

Sinto o corpo a estremecer

Numa outra espécie de amar.

Outros artigos deste autor >

Paulo Fernandes nasceu em Abraveses, Concelho de Viseu em 1969, Bacharel no Curso de Professores do Ensino Primário, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, concluindo a Licenciatura para o 1.º Ciclo do Ensino Básico no polo de Lamego da Escola Superior de Educação de Viseu. Especializou a sua formação para Educação e Desenvolvimento em Meio Rural no Instituto de Comunidades Educativas em Setúbal.
Desenvolveu a sua atividade profissional em vários locais, incluindo São Pedro do Sul, Campia (Vouzela) e Santa Cruz da Trapa (São Pedro do Sul).
Vive nas montanhas mágicas do concelho de São Pedro do Sul, na aldeia do Candal.

Outros artigos deste autor >

O renascer da arte a brotar do Interior e a florescer sem limites ou fronteiras. Contos, histórias, narrativa e muita poesia.

Deixe o seu comentário

Skip to content