Cine Clube de Viseu regressa às sessões regulares

Foto por Cine Clube de Viseu | Facebook
Depois de uma interrupção na programação, devido à pandemia da COVID-19, o Cine Clube de Viseu realizou em julho as habituais sessões de cinema ao ar livre com o programa “Cinema na Cidade”. Regressa agora ao ativo com as sessões regulares a 10 de setembro, na sala escura.

“Quase Comédias” é o ciclo proposto para setembro, que inclui três filmes de Federico FelliniElia Suleiman Jeanne Balibar. São “obras agridoces que nos lembram que ‘a vida é uma tragédia em close-up, uma comédia num plano geral’ (Charlie Chaplin).”

O cineclube apresenta ainda um filme obrigatório, cada vez mais nos tempos atuais, o documentário “I Am Not Your Negro” (2016), de Raoul Peck, para pensar, discutir, compreender o racismo na América. O filme está inserido no ciclo “Variações do Saber”, apresentado em parceria com o Politécnico de Viseu, sendo que em outubro serão exibidos mais três filmes no Auditório IPDJ.

O Cine Clube de Viseu garante todas as condições de segurança na sala de cinema, mantendo a lotação reduzida e aconselhando a reserva do bilhete antecipadamente.

De 27 a 31 de outubro o Cine Clube de Viseu vai realizar a 11.ª edição do VISTACURTA – Festival de Curtas de Viseu.

 

Ciclo Quase Comédias

10 setembro
Julieta dos Espíritos (1965), de Federico Fellini

17 setembro
As Maravilhas de Montfermeil (2019), de Jeanne Balibar

24 setembro
O Paraíso, Provavelmente (2019), de Elia Suleiman

 

Ciclo Variações do Saber

22 setembro
I Am Not Your Negro (2016), de Raoul Peck
Apresentado pelo Colectivo Aurora Negra

Fonte:Cine Clube de Viseu

Publicado em Cinema Sétima Arte a 2 de setembro de 2020.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema Sétima Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Barragem de Miranda do Douro
Ler Mais

Projeto europeu vai criar Observatório Ecológico Transfronteiriço do Douro

Oito entidades de Espanha e Portugal trabalharão de forma coordenada até 2026 na criação do Observatório Ecológico Transfronteiriço do Douro. O anúncio foi feito no dia 15 de fevereiro, em Zamora, Espanha, durante a apresentação do projeto OET Durius, coordenado pela Fundação Santa María la Real e com vários parceiros, entre os quais a Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural.
Skip to content