Temos esperado pacientemente e com muita expectativa pelo “regresso” em pleno da Mata do Fontelo.

Depois de mais de quase 2 anos de limpezas e algumas intervenções (e ainda com muito por fazer) finalmente é possível percorrer a Mata utilizando todos os caminhos existentes mas, fiquei estupefacta quando percebi que tinha desaparecido o Circuito de Manutenção (com 1800 metros e 18 estações).

Este percurso com muitos anos (ano de inauguração: 1979 e requalificado em 6 de Dezembro de 2001) fazia parte do quotidiano de muitos/as viseenses que mantinham a sua condição física seguindo as instruções no decorrer do mesmo.

Já apresentava alguma degradação e aguardava por melhores dias…pensava eu!

Afinal, pelo que tenho lido nas redes sociais o Circuito de Manutenção foi mesmo extinto.

Pergunto:

Não é para cumprir o que consta na proposta de alteração da área de Reabilitação Urbana de Viseu, Viseu Novo SRU; Abril de 2019, na página 23, onde consta que um dos projectos a ser executados é a instalação de um novo Circuito de Manutenção na mata?

Qual o motivo?

Falta de verba?

E os/as viseenses?

Na Assembleia de Freguesia de Viseu coloquei por diversas vezes, enquanto representante do BE, questões relacionadas com a recuperação da Mata do Fontelo e nunca, em nenhum momento, se colocou a hipótese do desaparecimento do Circuito de Manutenção.

Na democracia não pode valer tudo, as pessoas e o seu bem estar devem estar em primeiro lugar.

Aguardamos respostas…

E, para terminar esta crónica faço um apelo para que no sábado, dia 1 de agosto, pelas 18h, se desloquem ao Rossio para participar na vigilia “Há Racismo e Continua a Matar!” promovida pela Plataforma Já Marchavas.

Este movimento de cidadãos/ãs e de colectivos caracteriza-se pela defesa de direitos humanos e era impossível ficar indiferente ao que aconteceu no dia 25 de Julho: o assassinato premeditado de Bruno Candé Marques, em plena luz do dia, com 4 tiros à queima roupa na principal rua de Moscavide.

Contra a Violência Racista e Xenófoba!

Outros artigos deste autor >

Nascida em Viseu há 51 anos, é sobejamente conhecida na cidade que a viu crescer, pela dedicação e alegria com que se empenha na sua intensa actividade profissional, cívica, desportiva, associativa, sindical, cultural e política.
Professora de Educação Física e Mestre em Atividade Física e Desporto.
De 2008 a 2013 foi presidente da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Viseu.
Actualmente é dirigente sindical (SPRC Viseu, FENPROF), membro da Direcção da FRAP (Federação Regional de Associações de Pais) de Viseu, Membro da Direção da Associação de Professores de Educação Física -APEF VISEU. Membro da Comissão Concelhia de Viseu e da Comissão Distrital de Viseu do BE.
Esta autora escreve segundo o antigo acordo ortográfico.

Deixe o seu comentário

Skip to content