No dia 10 de Dezembro de 1948, a Assembleia Geral Das Nações Unidas proclamou a Declaração Universal Dos Direitos Humanos onde estão plasmados os direitos fundamentais a que qualquer ser humano tem direito!

Estes 72 anos têm sido de muita luta diária para que todos os povos e nações vivam em igualdade, justiça e dignidade humana.

Mas, apesar da sua universalidade, muitos países, subscritores ou não da Declaração, continuam  a criar situações de injustiça, maus tratos e desigualdades.

Ainda vivemos tempos em que muita gente não é sequer considerada…gente!  

Neste ano atipico devido à COVID19 é fundamental que cada um e cada uma de nós se responsabilize, mais ainda, na promoção dos direitos humanos e reforce a luta por medidas de combate à pobreza, à desigualdade e discriminação, tentando assim a “reconstrução de um mundo melhor, mais resiliente, justo e sustentável”.

Em Viseu, a Plataforma Já Marchavas (movimento de cidadãos e cidadãs e de colectivos unidos na luta feminista, LGBTI+, antirracista, antifascista, ecologista e que promove a democracia, a inclusão e a participação) assinalou esta data com a criação de uma instalação no Rossio com o objectivo de que nenhuma violação aos direitos humanos seja esquecida, apresentando-se assim, mais uma vez, com o propósito de ser mais um agente empenhado na construção, promoção e protecção desses direitos: 

A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES MATA!

A CRISE CLIMÁTICA MATA!

O RACISMO EXISTE E MATA!

A LGBTI+FOBIA MATA!

VIOLAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS MATAM!

Entretanto, no final da tarde, a instalação foi retirada pela CMViseu, repetindo o que já tinha feito à instalação denominada “o Estendal” colocada no dia 25 de Novembro- Dia Internacional Pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

Parece que para o executivo de Almeida Henriques o Rossio fica mais “bonito e limpo” sem o luto pelo desrespeito dos direitos humanos!

Outros artigos deste autor >

Nascida em Viseu há 51 anos, é sobejamente conhecida na cidade que a viu crescer, pela dedicação e alegria com que se empenha na sua intensa actividade profissional, cívica, desportiva, associativa, sindical, cultural e política.
Professora de Educação Física e Mestre em Atividade Física e Desporto.
De 2008 a 2013 foi presidente da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Viseu.
Actualmente é dirigente sindical (SPRC Viseu, FENPROF), membro da Direcção da FRAP (Federação Regional de Associações de Pais) de Viseu, Membro da Direção da Associação de Professores de Educação Física -APEF VISEU. Membro da Comissão Concelhia de Viseu e da Comissão Distrital de Viseu do BE.
Esta autora escreve segundo o antigo acordo ortográfico.

Deixe o seu comentário

Skip to content