Profetas do interior

Nos últimos tempos muito se tem falado do interior do país, tanto pela municipalização de serviços que visam descentralizar do estado central para centralizar nos presidentes de Câmara, como dos profetas que já tiveram inúmeras responsabilidades em sucessivos governos que destruíram este território e agora se assumem como os “salvadores” do interior. Alguns mudam de opinião como muda o vento, senão vejamos.

Pois bem, a hipocrisia sempre reinou, e infelizmente teremos sempre uns quantos destes a fazer opinião.
“Roma e Pavia não se fizeram num dia”. Bem sei que não há nenhuma solução milagrosa que coloque estas terras na ordem do dia e as faça florescer. Mas não tendo sido feitas num dia, todos os dias se davam passos para a sua execução. O que acontece nestes territórios é precisamente o contrário.

Acabar com as portagens, baixar a fatura da eletricidade (visto que temos um território “esburacado” para produzir energia para o país inteiro) e ter algumas discriminações positivas pode ser parte da solução.

Fará sentido pagar mais para nos deslocarmos de Chaves a Viseu do que de Bragança ao Porto? Na verdade, não faz sentido pagar e repagar em nenhum dos cenários. Na verdade, é um luxo viver no Interior! Na verdade, o luxo é tão grande que para sairmos dele temos tanto que pagar.
Somente com uma grande mobilização das populações é possível mudar algo. Somente com a nossa força conjunta a situação pode ser revertida. Até os profetas são bem-vindos, não para gáudio pessoal, mas para serem mais um ou uma, no combate às assimetrias e à injustiça.

Outros artigos deste autor >

Jóni Ledo, de 32 anos, é natural de Valtorno, concelho de Vila Flor. É licenciado em Psicologia pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, instituição onde também concluiu o Mestrado em Psicologia da Educação. Frequenta atualmente o 3ºano da Licenciatura em Economia na mesma instituição. Foi Deputado na Assembleia Municipal de Vila Flor pelo BE entre 2009 e 2021. É ativista na Catarse | Movimento Social e cronista no Interior do Avesso. É atualmente dirigente distrital e nacional do Bloco de Esquerda. É atualmente estudante de Doutoramento em Psicologia Clínica e da Saúde na Universidade da Beira Interior.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Feminismo
Ler Mais

Danadas e Insubmissas

"Esta é a chamada para que no dia 8 estejamos todas juntas a fazer-nos ouvir, onde não faltem abraços de força, de saber que não estamos sozinhas. Somos danadas, somos insubmissas, sabemos que os nossos direitos não são dados adquiridos, que não se pode ser feminista sem lutar pela liberdade, e que esta luta é feita todos os dias."
António Costa
Ler Mais

Costa conseguiu livrar-se da esquerda. O crescimento da extrema-direita foi um dano colateral da sua estratégia maquiavélica.

Costa só chegou a primeiro-ministro, em 2015, porque BE e PCP lhe garantiram maioria parlamentar. Mas cedo os chamou de “empecilhos” e não só recusou um acordo escrito com o BE, em 2019, como foi esvaziando as negociações à esquerda. Com o PSD e o CDS fracos, faz braço de ferro com a esquerda no OE 2022 e arrisca, com apoio de Marcelo, eleições, com a maioria absoluta no horizonte.
Skip to content