Foto por Movimento Estrela Viva | Facebook

Material necessário:

  • 3 baldes grandes de plástico da área alimentar (baldes de tinta não servem).
  • Resíduos alimentares: restos de legumes e frutas e cascas
  • Muito importante, em nenhum processo de compostagem devem colocar: carne ou peixe, restos de alimentos cozinhados. Evite também os citrinos e cebolas, pois em demasia acidificam o meio e condicionam o crescimento das minhocas
  • Matéria seca como folhas ou serrim de madeira.
  • Um pau grande, um pouco maior que a altura dos baldes.

 

Processo:

1 – Enumere os seus baldes de 1 a 3. Nos baldes 1 e 2, faça furos de 0,5cm (usando um berbequim) em toda a base do balde e também junto à superfície. Estes irão permitir o arejamento da matéria orgânica pois este é um processo que precisa de oxigénio. O balde número 3, fica intacto.

2 – Pegue nas respetivas tampas, e nos baldes 2 e 3 faça um corte central, deixando uma borda de cerca de 5cm. A tampa do balde 1 fica intacta.

Como funciona?
Os baldes vão ficar empilhados uns nos outros. O balde de baixo (número 3) será o que irá recolher o chorume. O chorume é o composto líquido que irá sendo formado à medida que vai colocando restos de matéria orgânica nos baldes 1 e 2 por processo natural de decomposição. O chorume é um concentrado de nutrientes e não deve ser deitado diretamente na terra, por ser altamente concentrado, mas sim, diluído 1:10 com água. Depois sim, poderá colocar na terra para enriquecer de nutrientes.

3 – Comece por colocar um pouco de terra na base do balde 2.

Se tiver um conhecido que tenha uma composteira, pode pedir-lhe alguma da sua terra com minhocas compostoras (sendo assim o processo designado, por vermicompostagem) ou até mesmo adquiri-las numa loja ou online.
Mas se não as adquirir, não tem problema pois essas minhocas irão formar-se naturalmente com o decorrer do processo de decomposição. Só demora é um pouco mais de tempo.

4 – Junte os restos de fruta, legumes, cascas de legumes, nozes, fruta, plantas, etc e coloque no balde. Por cima coloque um molho de matéria seca. A matéria seca irá ter duas funções fundamentais quando se quer ter uma composteira em casa: vai evitar o desenvolvimento de cheiros desagradáveis e o aparecimento de moscas. É por isso muito importante colocar a matéria seca por cima dos restos orgânicos.
De cada vez que for colocar mais uma dose de resíduos, dê uma misturada no que já está no balde, para oxigenar melhor o processo e acelerar o mesmo.

Quando o balde 2 estiver cheio, coloque o balde 1 por cima, e continue o processo.
Quando estiverem cheios (caso produza muitos resíduos), terá de aguardar o processo terminar. Este deverá rondar cerca de 2 a 3 meses.

5 – No final irá obter o seu adubo natural e sem químicos! Esse adubo será rico em nutrientes e poderá usa-lo para enriquecer os seus jardins. Pode armazena-lo por exemplo em garrafões de água como na figura.

Boa compostagem e bons aproveitamentos!!

 

Publicado por Movimento Estrela Viva a 29 de abril de 2020.

Outros artigos deste autor >

O Movimento Estrela Viva é um grupo informal de cidadãos com ligações à Serra da Estrela e regiões limítrofes que surgiu após os incêndios de outubro de 2017, e que se afirma laico, apartidário e sem fins lucrativos. Tem a missão de proteger e valorizar o território através de ações de preservação da natureza e de desenvolvimento do meio rural (promoção de produtos endógenos, valorização das comunidades, preservação de valores e tradições), sustentadas em modelos colaborativos e de cooperação com parceiros locais, na capacitação dos cidadãos e segundo uma lógica de desenvolvimento sustentável.
Facebook
Instagram

Deixe o seu comentário

Skip to content