Durante as próximas semanas será dado espaço e tempo para testemunhos da STOP Homofobia, manifestação que ocorreu em Viseu há 15 anos, e para que algumas das pessoas então presentes partilhem porque é que 15 anos depois ainda vale a pena marchar. Hoje ficamos com o contributo da Andrea Peniche.

Andrea Peniche diz-nos que 15 anos depois “o país mudou e mudou muito”, mas cita Simone de Beauvoir para lembrar que nunca podemos dar nada como certo e que “toda a vida é preciso permanecer vigilante”. Assim, o compromisso da ativista feminista “com o movimento lgbt+ é o de emprestar a voz e o corpo sempre que seja necessário”.

Em Viseu, há 15 anos, no dia 15 de maio, ocorreu a primeira manifestação fora de Lisboa de reivindicação de direitos LGBTI+: a STOP Homofobia. Mobilizou pessoas de todo o país em resposta aos ataques violentos, perseguições e humilhações que a comunidade homossexual de Viseu então sofria, reflexo de uma sociedade de traços vincadamente conservadores, ainda hoje presentes. Por esse motivo e também com esse mote irá ocorrer a 3.ª Marcha de Viseu Pelos Direitos LGBTI+ no dia 11 de outubro.

Outros artigos deste autor >

A Plataforma Já Marchavas é um movimento de cidadãs/ãos e de colectivos unidos na defesa de direitos Humanos, Ambientais e Animais.
O projecto Já Marchavas nasceu em maio de 2018 em Viseu reunindo sinergias diversas. Ainda em 2018 o projecto Já Marchavas levou mais de mil pessoas a participar na 1a Marcha pelos Diretos LGBTI+ em Viseu, denominada por alguns como a Marcha do Amor. A Plataforma Já Marchavas surgiu no ambiente pós-marcha concretizando a cooperação do projecto inicial e dando-lhe continuidade para outras causas comuns. Em Dezembro a Plataforma passou a integrar a Rede 8 de Março.

Deixe o seu comentário

Skip to content