50 anos do final do julgamento das Três Marias, documentário “Novíssimas Cartas Portuguesas” está disponível online

O filme que traz um olhar sobre os feminismos do séc. XXI e que celebra a obra, a coragem e as mulheres passa a estar disponível gratuitamente em novissimas.pt.
novissimas-cartas-portuguesas-2022-1

Estreado em 2022, no Festival Olhares do Mediterrâneo, o documentário “Novíssimas Cartas Portuguesas” é um trabalho colectivo de mulheres feministas quis participar e comemorar a obra escrita por Maria Velho da Costa, Maria Isabel Barreno e Maria Teresa Horta.”

O coletivo de mulheres composto por “designers, editoras, produtoras, tradutoras, professoras, amigas, companheiras de discussão sobre feminismos e companheiras nas lutas contra as desigualdades”, disponibiliza o documentário no site novissimas.pt e no youtube, precisamente no dia em que há 50 anos (7 de maio de 1974), o processo de julgamento das 3 Marias terminou com a sentença: “O livro não é pornográfico, nem imoral. Pelo contrário: é obra de arte, de elevado nível, na sequência de outros que as autoras já produziram.”

“A 25 de outubro de 1973, inicia-se o julgamento das 3 Marias, uma perseguição de espírito obscurantista que caracterizava o regime ditatorial que será derrubado daí a pouco menos de 1 ano. O livro Novas Cartas Portuguesas foi publicado em 1972, tendo sido recolhido e destruído 3 dias após o seu lançamento, por ‘conteúdo insanavelmente pornográfico e atentatório da moral pública.'”

50 anos depois do final do julgamento, as realizadoras deste filme celebram assim esta conquista das mulheres para o 25 de abril e do feminismo em Portugal e no Mundo.

Exibido também no Festival Porto Femme e no Desobedoc Viseu, para além das inúmeras exibições públicas que teve por todo o país, o filme reúne entrevistas inéditas a Maria Teresa Horta, Helena Neves ou Ana Campos e discute as novas fronteiras do que é ser mulher, entrevistando Rita Rato, Sara Barros Leitão, mulheres trans, mulheres negras e jovens.

“Novíssimas Cartas Portuguesas” venceu vários prémios, entre os quais o de Melhor Documentário no Women’s International Film Festival Nigeria, o de Melhor Filme no Porto Femme e no Festival Política.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema Sétima Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Related Posts
Ler Mais

Aço ou porcelana?

Você é de porcelana, amor/ Por mais que tente negar/ E que negue muito bem/ A ponto de todo mundo acreditar
Ler Mais

Palombar dá “Formação de Guias de Observação de Aves” em parceria com o Parque Natural Regional do Vale do Tua

A organização não governamental de ambiente Palombar - Conservação da Natureza e do Património Rural, em parceria com o Parque Natural Regional do Vale do Tua (PNRVT), está a ministrar a "Formação de Guias de Observação de Aves no Vale do Tua", promovida no âmbito do projeto financiado pelo NORTE2020 “Percursos de Birdwatching no Vale do Tua”, desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua.
Skip to content