Academia Portuguesa de Cinema e Netflix vão apoiar obras de mulheres cineastas

Convocatória Mulheres Cineastas

Academia Portuguesa de Cinema (APC) e a plataforma de streaming Netflix juntaram-se para apoiar obras de mulheres cineastas, de forma a colmatar as disparidades de género no setor do cinema e audiovisual em Portugal.

convocatória aberta para realizadoras, produtoras e guionistas, que pretende dar visibilidade ao trabalho de mulheres, vai seleccionar até cinco filmes para licenciar e exibir na Netflix. “Entre 15 de julho e 15 de agosto será aberta uma convocatória para realizadoras, produtoras e guionistas que tenham estado diretamente envolvidas em longas-metragens portuguesas de ficção e/ou documentário, finalizadas entre 2019 e 2020. Com esta iniciativa, a Academia Portuguesa de Cinema e a Netflix ajudarão a dar protagonismo ao talento das mulheres cineastas em Portugal, mostrando as suas obras em todo o mundo.”, lê-se no comunicado enviado pela APC.

A seleção das obras será feita por Carla Chambel, atriz, formadora e vice-presidente da Academia; Fátima Ribeiro, guionista, professora e realizadora; Isadora Laban, Gestora de Conteúdos da Netflix Portugal e Espanha; Maria João Seixas, produtora e jornalista cultural; Tota Alves, guionista e realizadora. As cineastas de cada um dos filmes licenciados receberão ainda uma dotação monetária no valor de 15 mil euros. Os resultados serão divulgados em outubro.

Segundo a vice-presidente da Academia Portuguesa de Cinema, Carla Chambel, “Numa época em que o movimento feminista tem, finalmente, ocupado espaço nas mais diversas áreas da sociedade, é um orgulho podermos dar este passo com a Netflix, no sentido de valorizar o trabalho das cineastas portuguesas. Esta iniciativa permitirá não só conhecermos as obras e as suas criadoras, mas também dar visibilidade a diversas perspectivas do mundo e do país, através do seu talento.”

Com iniciativas como o Fundo Netflix para a Criatividade Inclusiva, temos vindo a trabalhar globalmente no sentido de aumentar a representatividade das mulheres no sector audiovisual e do cinema. Queremos ajudar a criar cada vez mais oportunidades para dar protagonismo ao talento e ao trabalho de criadoras em todo o mundo, e esta iniciativa que lançamos lado a lado com a Academia Portuguesa de Cinema enquadra-se muito bem neste objetivo”, destaca Isadora Laban, Gestora de Conteúdos da Netflix Portugal e Espanha.

 

Publicado por Cinema Sétima Arte a 15 de julho de 2021.

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema Sétima Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Ler Mais

a utopia feita verbo

às vezes fico indecisa se anseio pelo anseio ou se a ansia de ansiar é só coisa de…
Skip to content