Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgou as shortlists com os finalistas em nove categorias para a 93.ª edição dos Óscares: Documentário, Curta-Metragem de Documentário, Filme Internacional, Caracterização, Banda Sonora, Canção, Curta de Animação, Curta em Imagem Real e Efeitos Visuais.

“Vitalina Varela”, de Pedro Costa, que era apontado como um dos favoritos na corrida à nomeação do Óscar de Melhor Filme Internacional, acabou por não ser um dos finalistas, ficando assim de fora da corrida aos Óscares. Portugal falha a nomeação pela 37.ª vez batendo mais um recorde: o do país que mais vezes submeteu filmes à categoria de Filme Internacional sem ter conseguido uma nomeação.

Dos 15 finalistas a Melhor Filme Internacional (onde estavam elegíveis 93 filmes) a lista será reduzida a cinco nomeados. “Collective” (Roménia), “The Mole Agent” (Chile), “Another Round” (Dinamarca), “La Llorona” (Guatemala) e A Sun” (Taiwan) são apontados como os cinco candidatos favoritos à nomeação.

Na categoria de Melhor Documentário foram elegíveis 238 filmes, passando agora para uma shortlist de 15 candidatos à nomeação. Já na de Melhor Curta-metragem de Animação estavam elegíveis 96 filmes, passando agora para uma shortlist de 10.

A lista final de nomeados será divulgada a 15 de março e a transmissão da 93.ª edição dos Óscares está agendada para 25 de abril.

 

Melhor Filme Internacional

Bósnia e Herzegovina – Quo Vadis, Aïda?, de Jasmila Žbanić
Chile – The Mole Agent, de Maite Alberdi
Costa do Marfim – Night of the Kings, de Philippe Lacôte
Dinamarca – Another Round, de Thomas Vinterberg
França – Tove, de Zaida Bergroth
Guatemala – La Llorona, de Jayro Bustamante
Hong Kong  Better Days
Irão – Sun Children, de Majid Majidi
México – I’m No Longer Here, de Fernando Frías de la Parra
Noruega – Hope, de Maria Sødahl
Roménia – Collective, de Alexander Nanau
Rússia – Dear Comrades!, de Andrei Konchalovsky
República Checa – Charlatan, de Agnieszka Holland
Taiwan – A Sun, de Chung Mong-hong
Tunísia – The Man Who Sold His Skin, de Kaouther Ben Hania

Melhor Documentário

“All In: The Fight for Democracy”
“Boys State”
“Collective”
“Crip Camp”
“Dick Johnson Is Dead”
“Gunda”
“MLK/FBI”
“The Mole Agent”
“My Octopus Teacher”
“Notturno”
“The Painter and the Thief”
“76 Days”
“Time”
“The Truffle Hunters”
“Welcome to Chechnya”

Melhor Curta-Metragem Documental

“Abortion Helpline, This Is Lisa”
“Call Center Blues”
“Colette”
“A Concerto Is a Conversation”
“Do Not Split”
“Hunger Ward”
“Hysterical Girl”
“A Love Song for Latasha”
“The Speed Cubers”
“What Would Sophia Loren Do?”

Melhor Caracterização

“Birds of Prey and the Fantabulous Emancipation of One Harley Quinn”
“Emma”
“The Glorias”
“Hillbilly Elegy”
“Jingle Jangle: A Christmas Journey”
“The Little Things”
“Ma Rainey’s Black Bottom”
“Mank”
“One Night in Miami…”
“Pinocchio”

Melhor Banda Sonora

“Ammonite”
“Blizzard of Souls”
“Da 5 Bloods”
“The Invisible Man”
“Jingle Jangle: A Christmas Journey”
“The Life Ahead (La Vita Davanti a Se)”
“The Little Things”
“Mank”
“The Midnight Sky”
“Minari”
“Mulan”
“News of the World”
“Soul”
“Tenet”
“The Trial of the Chicago 7”

Melhor Canção

“Turntables” from “All In: The Fight for Democracy”
“See What You’ve Done” from “Belly of the Beast”
“Wuhan Flu” from “Borat Subsequent Moviefilm: Delivery of Prodigious Bribe to American Regime for Make Benefit Once Glorious Nation of Kazakhstan”
“Husavik” from “Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga”
“Never Break” from “Giving Voice”
“Make It Work” from “Jingle Jangle: A Christmas Journey”
“Fight For You” from “Judas and the Black Messiah”
“Io Sì (Seen)” from “The Life Ahead (La Vita Davanti a Se)”
“Rain Song” from “Minari”
“Show Me Your Soul” from “Mr. Soul!”
“Loyal Brave True” from “Mulan”
“Free” from “The One and Only Ivan”
“Speak Now” from “One Night in Miami…”
“Green” from “Sound of Metal”
“Hear My Voice” from “The Trial of the Chicago 7”

Melhor Curta-metragem de Animação

“Burrow”
“Genius Loci”
“If Anything Happens I Love You”
“Kapaemahu”
“Opera”
“Out”
“The Snail and the Whale”
“To Gerard”
“Traces”
“Yes-People”

Melhor Curta-metragem de Imagem Real

“Bittu”
“Da Yie”
“Feeling Through”
“The Human Voice”
“The Kicksled Choir”
“The Letter Room”
“The Present”
“Two Distant Strangers”
“The Van”
“White Eye”

Melhores Efeitos Visuais

“Birds of Prey and the Fantabulous Emancipation of One Harley Quinn”
“Bloodshot”
“Love and Monsters”
“Mank”
“The Midnight Sky”
“Mulan”
“The One and Only Ivan”
“Soul”
“Tenet”
“Welcome to Chechnya”

 

Publicado em Cinema Sétima Arte a 10 de fevereiro de 2021

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content