Desobedoc 2022: Viseu volta a receber cinema insubmisso no final do mês

O Desobedoc – Mostra de Cinema Insubmisso está de regresso a Viseu, depois de dois anos de ausência, devido à pandemia, para três dias e cinema insubmisso, de concertos, conversas e convívio, em vários espaços da cidade. O Desobedoc Viseu 2022 realiza-se de 25 a 27 de novembro, no espaço CAOS, no Em Direita e na Cervejaria Santo Graal (em parceria com a Associação Fora de Rebanho).
Desobedoc-Viseu-white-riot-2019-1
“White Riot”, de Rubika Shah (2019)

A mostra de cinema militante e ativista regressa assim a Viseu depois de duas edições em formato extensão em 2016 e em 2017 e de em 2018 ter assumido o formato oficial, com a reabertura da sala de cinema Ícaro, a única do seu tempo que se encontrava ao abandono.

O programa propõe três dias com a exibição de cinco filmes, sendo um deles musicado ao vivo, e de quatro momentos musicais, entre conversas, uma feira insubmissa e convívio.

A sessão de abertura realiza-se a 25 de novembro, no dia internacional para a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres, pelas 22h, com a exibição do documentário “White Riot”, de Rubika Shah, um filme que retrata o surgimento do movimento anti-racista Rock Against Racism como resposta às posições xenófobas de extrema direita defendidas pela Frente Nacional Britânica. Seguem-se, em parceria com a Fora de Rebanho, os concertos de Dimmer Future e de Dokuga e um momento musical intitulado de Remember & Shuffle.

Josep-Aurel-2020-1
“JOSEP” (2020), de Aurel Fevereiro de 1939. Diante da enxurrada de republicanos fugidos da ditadura de Franco, o governo francês decide colocá-los em campos de concentração. Dois homens separados por arame farpado ficarão amigos. Um é polícia, o outro é cartoonista. De Barcelona a Nova Iorque, a verdadeira história de Josep Bartolí, combatente anti-Franco e artista excepcional.

No sábado serão exibidos os filmes “O Teu Nome É”, de Paulo Patrício, sobre a trágica morte de Gisberta, e a estreia de “Novíssimas Cartas Portuguesas”, um documentário que celebra a obra, a coragem e as mulheres. À noite, será musicado ao vivo pelo músico viseense Ricardo Carvalho, o clássico “O Imigrante”, de Charles Chaplin.

A mostra termina no domingo com a exibição de “JOSEP” (2020), de Aurel, a primeira longa-metragem do cartoonista Aurel, que “mistura com habilidade a pequena e a grande história numa narrativa poderosa, composta de ilustrações magníficas e engenhosamente animadas”.

O Desobedoc surgiu no Porto em 2014, tendo já reaberto salas como o Cinema Trindade, o Cinema Batalha e, em Viseu, o Cinema Ícaro (em 2018). A iniciativa é organizada pelo Bloco de Esquerda, pela Transform e pela Cultra. Este ano a mostra de cinema realizou-se em abril no Porto, no Cinema Trindade. A organização da Sementeira (evento cultural anual do Bloco de Esquerda Viseu) associa-se também à organização desta edição do Desobedoc.

Programa Desobedoc Viseu 2022

25 de novembro (sexta)

22H – Cervejaria Santo Graal – Parceria com a Associação Fora de Rebanho

White Riot, de Rubika Shah | 2019 | Reino Unido | 80 minutos

DIMMER FUTURE (Concerto)

DOKUGA (Concerto)

REMEMBER & SHUFFLE (Seleção Musical)

26 de novembro (sábado) – CAOS / SEDE / EM DIREITA

15H – O Teu Nome É, de Paulo Patrício | 2020 | Portugal | 25 minutos

16H – Novíssimas Cartas Portuguesas, de Coletivo | 2022 | Portugal | 45 minutos

15H-19H – FEIRINHA INSUBMISSA

20H – SEDE
Jantar Convívio Vegan

22H – EM DIREITA
O Imigrante, de Charlie Chaplin | 1917 | EUA | 30 minutos
(Filme Musicado ao vivo por Ricardo Carvalho)

DJ SET

27 de novembro (domingo) – CAOS

16H – Josep, de Aurel | 2020 | França | 80 minutos

15H-18H – FEIRINHA INSUBMISSA

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema Sétima Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Related Posts
Ler Mais

Rio vazio

Fico entre os meandros das coisas Sem me perder. Esfrego os olhos e sacudo a alma para ver.…
Skip to content