Desobedoc 2022: Viseu volta a receber cinema insubmisso no final do mês

O Desobedoc – Mostra de Cinema Insubmisso está de regresso a Viseu, depois de dois anos de ausência, devido à pandemia, para três dias e cinema insubmisso, de concertos, conversas e convívio, em vários espaços da cidade. O Desobedoc Viseu 2022 realiza-se de 25 a 27 de novembro, no espaço CAOS, no Em Direita e na Cervejaria Santo Graal (em parceria com a Associação Fora de Rebanho).
Desobedoc-Viseu-white-riot-2019-1
“White Riot”, de Rubika Shah (2019)

A mostra de cinema militante e ativista regressa assim a Viseu depois de duas edições em formato extensão em 2016 e em 2017 e de em 2018 ter assumido o formato oficial, com a reabertura da sala de cinema Ícaro, a única do seu tempo que se encontrava ao abandono.

O programa propõe três dias com a exibição de cinco filmes, sendo um deles musicado ao vivo, e de quatro momentos musicais, entre conversas, uma feira insubmissa e convívio.

A sessão de abertura realiza-se a 25 de novembro, no dia internacional para a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres, pelas 22h, com a exibição do documentário “White Riot”, de Rubika Shah, um filme que retrata o surgimento do movimento anti-racista Rock Against Racism como resposta às posições xenófobas de extrema direita defendidas pela Frente Nacional Britânica. Seguem-se, em parceria com a Fora de Rebanho, os concertos de Dimmer Future e de Dokuga e um momento musical intitulado de Remember & Shuffle.

Josep-Aurel-2020-1
“JOSEP” (2020), de Aurel Fevereiro de 1939. Diante da enxurrada de republicanos fugidos da ditadura de Franco, o governo francês decide colocá-los em campos de concentração. Dois homens separados por arame farpado ficarão amigos. Um é polícia, o outro é cartoonista. De Barcelona a Nova Iorque, a verdadeira história de Josep Bartolí, combatente anti-Franco e artista excepcional.

No sábado serão exibidos os filmes “O Teu Nome É”, de Paulo Patrício, sobre a trágica morte de Gisberta, e a estreia de “Novíssimas Cartas Portuguesas”, um documentário que celebra a obra, a coragem e as mulheres. À noite, será musicado ao vivo pelo músico viseense Ricardo Carvalho, o clássico “O Imigrante”, de Charles Chaplin.

A mostra termina no domingo com a exibição de “JOSEP” (2020), de Aurel, a primeira longa-metragem do cartoonista Aurel, que “mistura com habilidade a pequena e a grande história numa narrativa poderosa, composta de ilustrações magníficas e engenhosamente animadas”.

O Desobedoc surgiu no Porto em 2014, tendo já reaberto salas como o Cinema Trindade, o Cinema Batalha e, em Viseu, o Cinema Ícaro (em 2018). A iniciativa é organizada pelo Bloco de Esquerda, pela Transform e pela Cultra. Este ano a mostra de cinema realizou-se em abril no Porto, no Cinema Trindade. A organização da Sementeira (evento cultural anual do Bloco de Esquerda Viseu) associa-se também à organização desta edição do Desobedoc.

Programa Desobedoc Viseu 2022

25 de novembro (sexta)

22H – Cervejaria Santo Graal – Parceria com a Associação Fora de Rebanho

White Riot, de Rubika Shah | 2019 | Reino Unido | 80 minutos

DIMMER FUTURE (Concerto)

DOKUGA (Concerto)

REMEMBER & SHUFFLE (Seleção Musical)

26 de novembro (sábado) – CAOS / SEDE / EM DIREITA

15H – O Teu Nome É, de Paulo Patrício | 2020 | Portugal | 25 minutos

16H – Novíssimas Cartas Portuguesas, de Coletivo | 2022 | Portugal | 45 minutos

15H-19H – FEIRINHA INSUBMISSA

20H – SEDE
Jantar Convívio Vegan

22H – EM DIREITA
O Imigrante, de Charlie Chaplin | 1917 | EUA | 30 minutos
(Filme Musicado ao vivo por Ricardo Carvalho)

DJ SET

27 de novembro (domingo) – CAOS

16H – Josep, de Aurel | 2020 | França | 80 minutos

15H-18H – FEIRINHA INSUBMISSA

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema Sétima Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Related Posts
Ler Mais

Minados

"O Novo Homem da extração intoxica o Interior. Com promessas nestas pressas pseudo-ambientais"
Skip to content