“Filmes para a União” é uma iniciativa de três produtoras portuguesas que se juntaram para disponibilizar filmes semanais online pagos, revertendo essas receitas na íntegra para o grupo solidário União Audiovisual.

As produtoras Terratreme Filmes, Uma Pedra no Sapato O Som e a Fúria juntaram-se para criar o Videoclube “Filmes para a União”, um videoclube onde cada aluguer é um donativo para a União Audiovisual, disponibilizando os seus filmes num só catálogo online.

“O valor de cada aluguer será doado na íntegra à União Audiovisual para contribuir para a compra de bens alimentares e de primeira necessidade para ajudar a colmatar as dificuldades que muitos profissionais, técnicos e artistas das áreas da cultura, dos espetáculos e dos eventos estão a enfrentar devido à crise pandémica que vivemos.”

“Cada semana, serão postos online novos filmes que ficarão disponíveis desse momento em diante. Os filmes da produtora Terratreme serão disponibilizados às Segundas-feiras, os da produtora Uma Pedra no Sapato às Quartas e os da O Som e a Fúria às Quintas-feiras.”. A programação pode ser consultada aqui.

O catálogo de longas e curtas-metragens destas três produtoras portuguesas, que se uniram para contribuir para esta iniciativa, tem já disponíveis filmes como “Cartas da Guerra” (2016), de Ivo M. Ferreira, “Tabu” (2012), de Miguel Gomes, “Bab Sebta” (2008), de Frederico Lobo e Pedro Pinho, e “Volta à Terra” (2014), de João Pedro Plácido.

União Audiovisual, criada em 2020 a partir de várias consciências, é uma associação de cariz social e cultural, de apoio aos profissionais técnicos e artistas da cultura, espetáculos e eventos. “Na UA – União Audiovisual, o objetivo da nossa ação é apoiar o profissional do audiovisual, valorizar o seu percurso técnico/artístico, atenuando o presente e alavancando o futuro. Passando à sociedade, o conhecimento das dificuldades em que muitos de nós nos encontramos.”

Fonte: Filmes para União

 

Publicado em Cinema Sétima Arte a 15 de fevereiro de 2021

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content