Foto retirada de Cinema Sétima Arte

Foi divulgado o trailer de “Und Morgen Die Ganze Welt” (“And Tomorrow the Entire World”), da realizadora alemã Julia von Heinz, um filme que explora como a Alemanha caminha para a extrema-direita e a popularidade crescente dos partidos populistas e fascistas.

Seleccionado para a secção competitiva da 77.ª edição Festival de Veneza, a realizar-se de 2 a 12 de setembro, o filme explora temas atuais focando-se em Luisa, uma jovem estudante de direito que se junta a uma subdivisão da Antifa para se opor ao movimento neonazista. Com as suas ações imprudentes, ela não só luta contra a extrema-direita, mas também tenta impressionar Alfa, uma ativista da Antifa pela qual ela está secretamente apaixonada. Logo, a situação piora e Luisa e os seus amigos entram em conflito sobre a questão de se a violência poderia ser uma resposta política legítima ao fascismo e ao ódio.

O título do filme “Und Morgen Die Ganze Welt” (“E amanhã o mundo inteiro”) tem origem num verso retirado de uma canção popular do partido Nazi. A Alemanha tem sido atingida por uma violenta série de ataques terroristas e racistas, pelo que a realizadora se inspirou nas suas próprias experiências para contar a história sobre uma jovem ativista de esquerda que enfrenta a difícil decisão se deve usar a violência para combater o fascismo.

A extrema direita é motivada pelo medo e ódio; para os ativistas de esquerda, trata-se da ideia de um mundo mais pacífico e igualitário. Mas como conseguir isso? A personagem principal do meu filme, Luisa, sente-se pressionada a lutar contra a extrema-direita com violência e, eventualmente, perde-se na sua batalha. Com o meu próprio passado como ativista de esquerda, pergunto-me todos os dias como posso usar o cinema – essa bela forma de arte – para refletir sobre o nosso clima político atual. Espero que o meu filme inicie uma discussão sobre como queremos viver um com o outro. Esta não é apenas uma história sobre a forte divisão que permeia a Alemanha, mas também sobre aquela que permeia toda a nossa sociedade ocidental.”

Mala Emde, Noah Saavedra, Tonio Schneider e Andreas Lust integram o elenco principal.

Publicado em Cinema Sétima Arte a 29 de agosto de 2020.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content