A organização do Festival Internacional de Cinema de Cannes apresentou em conferência de imprensa a seleção oficial da 74.ª edição, que irá acontecer entre 6 a 17 de julho de 2021.

A secção competitiva pela Palma de Ouro, que conta este ano com 24 longas-metragens, trás de volta conceituados realizadores como François Ozon, Nanni Moretti, Asghar Farhadi, Apichatpong Weerasethakul, Jacques Audiard, Joachim Trier, Paul Verhoeven, Wes Anderson, Mia Hansen-Love, Bruno Dumont e Sean Penn.

A edição deste ano será presencial e o filme de abertura será “Annette”, do cineasta Leos Caraxo seu primeiro filme em inglês, protagonizado por Marion Cotillard, Adam Driver e Simon HelbergLeos Carax regressa a Cannes nove anos depois de ter apresentado “Holy Motors” (2012).

Thierry Frémaux, delegado geral, e Pierre Lescure, presidente do Festival de Cannes, anunciaram a programação de Cannes 2021, assim como a nova secção do festival, Cannes Première, dedicada a conceituados realizadores que regressam ao festival para mostrar o seu trabalho, dos quais podemos encontrar novos filmes de Mathieu Amalric, Arnaud Desplechin, Charlotte Gainsbourg, Hong Sang-soo ou Oliver Stone, por exemplo.

A secção Un Certain Regard conta com filmes como as primeiras longas-metragens “Freda”, da realizadora do Haiti Gessica Généus, e “Un Monde”, da realizadora belga Laura Wandel. Fora de competição estreiam filmes como “Aline”, de Valérie Lemercier, “Stillwater”, de Tom McCarthy, e “The Velvet Underground”, de Todd Haynes.

A atriz e realizadora norte-americana Jodie Foster irá receber a Palma de Ouro Honorária do Festival e o cineasta Spike Lee irá presidir o júri que entregua a Palma de Ouro e outros prémios oficiais do festival.

Competição Oficial

Annette, de Leos Carax (Filme de Abertura)
A Hero, de Asghar Farhadi
Ahed’s Knee, de Nadav Lapid
Benedetta, de Paul Verhoeven
Bergman Island, de Mia Hansen-Love
Casablanca Beats, de Nabil Ayouch
Compartment No. 6, de Juho Kuosmanen
Drive My Car, de Ryusuke Hamaguchi
Flag Day, de Sean Penn
France, de Bruno Dumont
Les Olympiades, de Jacques Audiard
La Fracture, de Catherine Corsini
Lingui, de Mahamat-Saleh Haroun
Memoria, de Apichatpong Weerasethakul
Nitram, de Justin Kurzel
Petrov’s Flu, de Kirill Serebrennikov
Red Rocket, de Sean Baker
Tout S’est Bien Passé, de François Ozon
Tre Piani, de Nanni Moretti
Titane, de Julia Ducournau
The Story Of My Wife, de Ildiko Enyedi
The French Dispatch, de Wes Anderson
The Restless, de Joachim Lafosse
The Worst Person In The World, de Joachim Trier

Un Certain Regard

Moneyboys, de C.b Yi
Blue Bayou, de Justin Chon
Freda, de Gessica Généus
Delo (House Arrest), de Alexey German Jr.
Bonne Mère, de Hafsia Herzi
Noche De Fuego, de Tatiana Huezo
Lamb, de Valdimar Jóhansson
Commitment Hasan, de Hasan Semih Kaplanoglu
After Yang, de Kogonada
Let There Be Morning, de Eran Kolirin
Unclenching The Fists, de Kira Kovalenko
Women Do Cry, de Mina Mileva e Vesela Kazakova
Rehana Maryam Noor, de Abdullah Mohammad Saad
Great Freedom, de Sebastian Meise
La Civil, de Teodora Ana Mihai
Gaey Wa’r, de Na Jiazuo
The Innocents, de Eskil Vogt
Un Monde, de Laura Wandel

Fora de Competição

De Son Vivant, de Emmanuelle Bercot
Stillwater, de Tom McCarthy
The Velvet Underground, de Todd Haynes
Bac Nord, de Cédric Jiminez
Aline, de Valérie Lemercier
Emergency Declaration, de Han Jae-Rim

Sessões Especiais

H6, de Yi Yi
Black Notebooks, de Shlomi Elkabetz
Mariner Of The Mountains, de Karim Ainouz
Babi Yar. Context, de Sergei Loznitsa

Cannes Premiére

Hold Me Tight, de Mathieu Amalric
Cow, de Andrea Arnold
Love Songs For Tough Guys, de Samuel Benchetrit
Deception, de Arnaud Desplechin
Jane Par Charlotte, de Charlotte Gainsbourg
In Front Of Your Face, de Hong Sang-soo
Mothering Sunday, de Eva Husson
Evolution, de Kornél Mundruczo
Val, Ting Poo, de Leo Scott
JFK Revisited: Through The Looking Glass, de Oliver Stone

Sessões da Meia-Noite

Bloody Oranges, de Jean-Christophe Meurisse

 

Publicado por Cinema Sétima Arte a 3 de junho de 2021

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content