Os membros da Academia Portuguesa de Cinema escolheram o filme “Listen”, realizado por Ana Rocha de Sousapara representar Portugal na categoria de Melhor Filme Internacional, na 93.ª edição dos Óscares da Academia Americana de Cinema.

A votação decorreu entre 2 e 15 de novembro para os quatro filmes previamente selecionados – “Listen”, “Mosquito”, “Patrick” e “Vitalina Varela” – tendo “Listen” sido o filme mais votado entre os membros da Academia Portuguesa de Cinema.

O Presidente da Academia, Paulo Trancoso, considera que “qualquer um dos quatro nomeados seria um digno representante, mas a escolha de uma primeira obra que conquistou Veneza, um dos mais importantes festivais de cinema do mundo, e que rapidamente se tornou no filme português mais visto do ano apesar do momento crítico que atravessamos, revela um voto de esperança no talento dos cineastas portugueses, cada vez mais reconhecidos além-fronteiras e acarinhados pelo público nacional.”

“Listen” é o filme português mais visto do ano nas salas de cinema nacionais, com mais de 30 mil espectadores e é atualmente o filme português mais badalado do ano. Conquistou seis galardões na 77.ª edição do Festival de Cinema de Veneza (Leão do Futuro – Melhor primeira obra, Prémio especial do Júri – secção Horizontes, Bisato d’Oro – Melhor filme, Sorriso Diverso Veneza – Melhor filme estrangeiro – causas sociais, Casa Wabi – Mantarraya Award, e Hollywood Foreign Press Association).

Produzido pela Bando à Parte, em coprodução com a Pinball London, com distribuição pela NOS Audiovisuais, o filme é baseado em factos reais, o filme aborda o drama de um casal português emigrado, a quem os serviços sociais retiram, injustamente, os filhos por suspeitas de maus tratos.

Protagonizado por Lúcia Moniz, Ruben Garcia e a atriz britânica Sophia Myles, “Listen” conta a história de Bela (Lúcia Moniz) e Jota (Ruben Garcia), que vivem nos subúrbios de Londres e acabam por enfrentar sérias dificuldades quando os ‘serviços sociais’ levantam suspeitas sobre a segurança dos seus três filhos. A surdez da filha de 7 anos desencadeia um processo no sistema que parece não ter fim, e tudo se complica com o passar do tempo.

 

Publicado em Cinema Sétima Arte a 16 de novembro de 2020.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Deixe o seu comentário

Skip to content