A Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS) recusou o filme “Listen”realizado por Ana Rocha de Sousa, para representar Portugal na categoria de Melhor Filme Internacional, na 93.ª edição dos Óscares da Academia Americana de Cinema.

Academia Portuguesa de Cinema foi informada de que “após análise do filme “Listen” de Ana Rocha de Sousa, e apesar das particularidades da narrativa justificarem o recurso a diálogos em língua inglesa, o comité internacional da AMPAS considerou a candidatura não elegível e solicita o envio de um novo candidato com a máxima urgência possível.”

Os membros da Academia Portuguesa de Cinema têm agora de votar com urgência até ao próximo domingo (20 de dezembro), para a escolha de um novo candidato de Portugal aos Óscares 2021, entre três filmes: “Mosquito”, de João Nuno Pinto (Leopardo Filmes), Patrick”, de Gonçalo Waddington (O Som e a Fúria) e “Vitalina Varela”, de Pedro Costa (OPTEC).

Em comunicado, a Academia Portuguesa de cinema refere que “apesar das particularidades da narrativa do filme justificarem o recurso a diálogos em língua inglesa, o factor de exclusão prende-se com um dos critérios de elegibilidade que obriga a que pelo menos 50% do filme candidato seja falado em língua não-inglesa.”

Segundo o Presidente da Academia, Paulo Trancoso, “Ainda na fase de consideração de todos os filmes nacionais potencialmente elegíveis contactámos a AMPAS no sentido de obter esclarecimentos que fundamentassem a decisão de excluir ou incluir o filme de Ana Rocha de Sousa da lista de candidatos em consideração. Em resposta à APC, a AMPAS comunicou que apenas poderiam deliberar sobre a elegibilidade de um filme após o encerramento do prazo regular de submissões, existindo sempre a possibilidade de submeter um novo candidato caso o primeiro fosse rejeitado. Atendendo ao facto de que o filme justifica o recurso à língua inglesa por retratar a história de um casal imigrante português em Londres, e que uma parte considerável do mesmo tem diálogos em português e em língua gestual, o filme foi pré-selecionado pelo comité de seleção e acabou por ser o mais votado pelos membros da APC. Sabíamos que a aceitação do filme enquanto candidato de Portugal dependeria da flexibilidade do comité internacional da AMPAS e estávamos confiantes de que o contexto particular desta candidatura justificaria a sua aceitação, mas no final isso acabou por não acontecer.”

“Parece que a Academia do Cinema Português vai repetir a votação do filme candidato a Oscar para filme estrangeiro! O Listen, filme escolhido, não é elegível por ser falado maioritariamente em Inglês. Pena que a Academia Portuguesa (não sou membro) desconheça regra da língua que consta no regulamento dos Óscares da Academy of Motion Pictures, Arts and Sciences!”, escreveram Gonçalo Waddington e Luís Urbano no Facebook.

Esta é uma situação inédita que já na altura da sua eleição de candidato português aos Óscares 2021 levantou muitas dúvidas se seria um candidato elegível. Agora confirma-se que a Academia Portuguesa terá de escolher outro candidato.

“Listen”, a primeira longa-metragem de Ana Rocha de Sousa, é atualmente o filme português mais visto do ano, com quase 40 mil espectadores. Conquistou seis galardões na 77.ª edição do Festival de Cinema de Veneza (Leão do Futuro – Melhor primeira obra, Prémio especial do Júri – secção Horizontes, Bisato d’Oro – Melhor filme, Sorriso Diverso Veneza – Melhor filme estrangeiro – causas sociais, Casa Wabi – Mantarraya Award, e Hollywood Foreign Press Association).

Publicado em Cinema Sétima Arte a 18 de dezembro de 2020.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Deixe o seu comentário

Skip to content