2.ª edição da Mostra de Cinema Europeu Europa 61 vai chegar, os dias 15 e 30 de novembro, em formato online e gratuito. O Europa 6.1 propõe sete olhares sobre a cinematografia emergente compilando sete histórias que derretem as fronteiras do continente e celebram a cidadania europeia. Áustria, França, Hungria, Luxemburgo, Polónia, Portugal e República Checa são as sete paragens deste comboio.

Devido à epidemia da COVID-19, não foi possível realizar no Porto, em maio de 2020, a 2ª edição. Deste modo, a Representação da Comissão Europeia em Portugal e a rede EUNIC Portugal decidiram, ainda assim, propor ao público português uma seleção de filmes que podem ser visualizados gratuitamente na plataforma Jangada-VOD.

“Tem sido um dos temas mais quentes dos últimos anos, a recepção e tratamento aos refugiados que, anualmente, batem às portas de diversos países europeus. Em Macondo, ficção austríaca rodada nas margens do Danúbio, seguimos de perto a história de Ramasan, um menino de onze anos que se vê forçado a assumir o papel de chefe de uma família separada pelo confronto russo-checheno. Também com a juventude como figura central, A Vida Nos Bosques (França) é um coming of age tocante que nos põe ao lado de Salomé e o abandono da rebeldia sob o quente sol do mês de agosto. Centrado no Luxemburgo, Histórias de Hortas Comunitárias é um documentário sobre as hortas comunitárias no sul do país, onde pequenas áreas de terreno são disponibilizadas para plantio individual e onde se cruzam luxemburgueses reformados com imigrantes portugueses ou da antiga Jugoslávia. A comunidade e os seus preconceitos é o tema central de Brasileiros (Hungria), que acompanha o caos gerado pela decisão do presidente da câmara em aceitar a integração de uma equipa de futebol composta apenas por jogadores de etnia cigana no campeonato regional. Uma comédia que usa o futebol como medida de pulso à integração social.”

“Da Polónia e República Checa chegam-nos duas histórias sobre o amor. Em Fuga, acompanhamos Alicia, uma mulher que perdeu a memória, e que se vê forçada a reconstruir os caminhos de afetos com família e filhos. Em Karel, Tu e Eu, a vida aos 30 anos, através da crise de um casal a quem o tempo parece ter destruído os pontos em comum. Fechar este programa Europa 6.1 com Ramiro, de Manuel Mozos, e a vida de um alfarrabista lisboeta, poeta frustrado, que divide o seu tempo entre a loja e a tasca, até que uma novelesca sucessão de acontecimento quebra a rotina.”

A organização espera que em 2021 seja possível realizar uma nova edição no Porto, nas salas de cinema.

O Programa completo está disponível em https://www.europa6-1.pt. O Europa 6.1 tem como sala de exibição o site: https://www.jangada-vod.com.

 

Programa

Ramiro, de Manuel Mozos, 2018, Portugal, Comédia, 104′

Karel, Tu e Eu, de Bohdan Karásek, 2019, República Checa, 111′

Macondo, de Sudabeh Mortezai, 2014, Áustria, Drama, 98′

A Vida nos Bosques, de Alain Raoust, 2019, França, Portugal, Drama, 92′

Brasileiros, de Csaba M. Kiss, Gábor Rohonyi, 2017, Húngria, Comédia, 95′

Histórias de Hortas Comunitárias, de Yann Tonnar, 2011, Luxemburgo, Documentário

Fuga, de Agnieszka Smoczyńska, 2018, Polánia, Ficção, 100′

Fonte: Europa 6.1

 

 

Publicado em Cinema Sétima Arte a 5 de novembro de 2020.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content