Pelo sétimo ano consecutivo, Portugal celebra a grande festa da curta-metragem com vários países do mundo, através de dezenas de sessões de cinema por todo o país e centenas de espectadores. O Dia Mais Curto inicia-se no primeiro dia de dezembro e culmina no dia mais curto do ano, dia 21.

Anualmente, entre 21 e 22 de dezembro, o Inverno chega ao hemisfério norte do globo terrestre. Esta transição, que dá pelo nome de solstício de Inverno, assinala também o dia mais curto do ano.

Desde há muito tempo que este acontecimento astronómico é um momento celebrado pelos povos de culturas ancestrais pagãs e pelos antigos romanos, simbolizando o início do triunfo da luz sobre as trevas. O Dia Mais Curto nasceu em França em 2012 e rapidamente alcançou uma dimensão internacional, sendo, atualmente, celebrado em dezenas de países.

Organizado pela Agência da Curta Metragem, a sétima edição vai novamente percorrer o país de norte a sul, incluindo ilhas, com múltiplas sessões de cinema, consagrando assim a diversidade deste formato nos mais variados lugares de projeção: cinemas, bibliotecas, museus, televisões, transportes públicos, entre outros – em 28 localidades: Almada, Amadora, Amarante, Aveiro, Barcelos, Braga, Caxias, Elvas, Faro, Guimarães, Leiria, Lisboa, Lourinhã, Madalena (Pico), Maia, Odivelas, Ovar, Porto, Sardoal, Setúbal, Tavira, Tomar, Torres Vedras, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão, Vila Real, Vila Verde e Viseu.

Aos programas propostos pela Agência da Curta Metragem, soma-se ainda a programação própria de várias associações e cineclubes que aderiram ao evento, sessões especiais para escolas, mas também a exibição televisiva ou online, reforçando esta iniciativa que expande o acesso a uma forma diferente de cinema.

À semelhança dos anos anteriores, O Dia Mais Curto também passará pela televisão, com programas especiais na RTP2 e nos Canais TvCine & Séries, e pela Internet, com sessões no site da Agência da Curta Metragem e na Filmin.

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content