"Mosquito" de João Nuno Pinto | Imagem retirada de Cinema Sétima Arte

2020 marca o fim de uma década e o início de outra. Iniciam-se os “loucos anos 20”, no ano em que se assinalam os 100 anos de “O Gabinete do Dr. Caligari” (1920), de Robert Wiene, e os 50 anos de “A Filha de Ryan” (1970), de David Lean.

São vários os filmes que aguardamos ansiosamente, desde blockbusters, a filmes de cineastas consagrados e estreantes. Janeiro e fevereiro são os meses de estreias de filmes candidatos a 92.ª cerimónia dos Óscares no dia 9 de fevereiro.

Entre os mais aguardados encontramos: “Uma Vida Escondida”, de Terrence Malick, “J’accuse – O Oficial e o Espião”, de Roman Polanski, “Jojo Rabbit”, de Taika Waititi, “A Despedida”, de Lulu Wang, “Mulherzinhas”, de Greta Gerwig, “Mulan”, de Niki Caro.

Quanto ao cinema português, estão para já confirmadas as estreias de “Alva”, de Ico Costa, “Mosquito”, de João Nuno Pinto, e “O Filme do Bruno Aleixo”, de João Moreira e Pedro Santo. Encontram-se em fase de produção e pós-produção os filmes: “Amadeo”, de Vicente Alves do Ó, produzido pela Ukbar Filmes; “O Sentido da Vida”, de Miguel Gonçalves Mendes; “Pedro”, realizado por Laís Bodanzky, sobre D. Pedro I, rei de Portugal e Imperador do Brasil, da produtora O Som e a Fúria. Há ainda “Fátima”, do italiano Marco Pontecorvo, uma produção norte-americana, protagonizada por Lúcia Moniz, que deverá estrear este ano.

Há ainda muitas estreias aguardadas para este ano que ainda não tem data de estreia nas salas de cinema nacionais, como: “O Sentido da Vida”, de Miguel Gonçalves Mendes, “O Farol”, de Robert Eggers, “Marighella”, de Wagner Moura, “The French Dispatch”, de Wes Anderson, “West Side Story”, de Steven Spielberg, “Soul”, de Pete Docter, “O Homem Que Matou Don Quixote”, de Terry Gilliam, “Mank”, de David Fincher, “Walking to Paris”, de Peter Greenaway, e “Ordem Moral”, de Mário Barroso.

Estreias confirmadas:

2 de janeiro

O Caso de Richard Jewell, de Clint Eastwood

9 de janeiro

A Despedida, de Lulu Wang

A Ilha dos Silvos, de Corneliu Porumboiu

16 de janeiro

Uma Vida Escondida, de Terrence Malick

Alva, de Ico Costa

23 de janeiro

1917, de Sam Mendes

O Filme do Bruno Aleixo, de João Moreira, Pedro Santo

J’accuse – O Oficial e o Espião, de Roman Polanski

Mulherzinhas, de Greta Gerwig

Jojo Rabbit, de Taika Waititi

Hollywood – A Caminho da Igualdade, de Tom Donahue

6 de fevereiro

Um Amigo Extraordinário, de Marielle Heller

20 de fevereiro

Os Miseráveis, de Ladj Ly

5 de março

Mosquito, de João Nuno Pinto

La Cordillera de los Sueños, de Patricio Guzmán

26 de março

Mulan, de Niki Caro

Outros artigos deste autor >

Se disséssemos que éramos um bando de miúdos, um tanto sonhadores, que queriam fundar um site para escrever sobre cinema e que, por algum desígnio divino, pudéssemos fazer da vida isto de escrever sobre a sétima arte, seria isso possível? A resposta é óbvia: dificilmente. Todavia Isso não impediu o bando de criá-lo em 2008, ano da fundação do Cinema 7.ª Arte. O espírito do western tinha-se entranhado em nós…
“A atividade crítica tem três funções principais: informar, avaliar, promover”. É desta forma que pretendemos estimular o debate pelo cinema.
Acima de tudo, escreveremos sempre como cinéfilos, esses sonhadores enamorados da sétima arte.
www.cinema7arte.com

Outros artigos deste autor >

Portuense mas reside em Viseu desde 2015 e é apaixonado por cinema e política. É administrador do site Cinema Sétima Arte, programador de cinema no espaço Carmo 81 e fez parte da equipa que reabriu o Cinema Ícaro, em Viseu, com o Desobedoc 2018. É ativista na Plataforma Já Marchavas, que organizou a 1.ª Marcha LGBTI+ de Viseu, em 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content