Grifos Esteva e Erica recuperam-se e são marcados no âmbito do projeto Sentinelas

Devolução de grifos à natureza. Fotografia Iván Gutiérrez/Palombar.
Dois grifos (Gyps fulvus) imaturos que foram resgatados e recuperados pelo Centro de Interpretação Ambiental e Recuperação Animal (CIARA) e pelo Hospital Veterinário da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (HVUTAD) passaram a integrar o projeto Sentinelas – Rede de Monitorização de Ameaças para a Fauna Silvestre da Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural, após terem sido marcados pela equipa do projeto.

Depois de tratados e recuperados pelo CIARA e pelo HVUTAD, os dois grifos foram devolvidos à natureza no dia 22 de setembro, numa ação de libertação que decorreu em Picote, no concelho de Miranda do Douro, distrito de Bragança e que contou com a participação de técnicos da Palombar, CIARA e HVUTAD. Foi durante esta ação que os dois abutres foram anilhados pelo biólogo da Palombar Iván Gutiérrez.

Um dos grifos, batizado de Esteva, foi marcado com anilha PVC vermelha com o código alfabético HF e metálica com o número 1523, e o outro, denominado Erica, com a anilha PVC HE e metálica 1656. Foram também recolhidos dados biométricos dos dois abutres.

O projeto Sentinelas está a criar uma rede de monitorização de ameaças para a fauna silvestre, através da marcação de espécies-sentinelas com dispositivo GPS e anilhas com o objetivo de detetar de forma mais rápida e eficaz as ameaças para espécies selvagens. Adicionalmente, o projeto está a avaliar a vulnerabilidade das espécies de fauna silvestre ao uso ilegal de venenos e a analisar os níveis de tolerância de diferentes grupos de interesse relativamente às espécies de fauna selvagens.

Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Ler Mais

Auto-estrada IV

Para chegar ao telhado de colmo metam-se por uma estrada camarária, daquelas que são beneficiadas a cada trinta…
Ler Mais

Dia de poesia

Foto por Jr Korpa | UnsplashNeste dia de poesia entretive-me a protelar como quem protesta. Desde a primeira…
Skip to content