Still de vídeo. Crédito Gonçalo Mota.

No âmbito do projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar”, a organização não governamental de ambiente Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural produziu o vídeo/documentário de curta metragem “Proteger a rapina das searas”, que pretende sensibilizar a comunidade em geral e os agricultores em particular para a importância de proteger o tartaranhão-caçador (Circus pygargus), uma ave de rapina migradora que tem um estatuto de ameaça “Em perigo” de extinção em Portugal e cujas populações têm registado um declínio continuado no território nacional. Este vídeo também visa alertar para as ameaças que colocam esta espécie em risco e destacar os serviços que presta para os ecossistemas.

Que ave é esta? De onde vem? Em que território habita? Que ameaças enfrenta? Quais são os serviços que presta para os ecossistemas e os agricultores? Como a podemos proteger? Com foco nesta rapina das searas, o vídeo responde a estas e a muitas outras questões relacionadas com a espécie e centra-se num território, o Planalto Mirandês, um dos últimos redutos para as aves estepárias no norte de Portugal. Um dos propósitos é revelar como o tartaranhão-caçador contribui para assegurar a produtividade dos campos cerealíferos e o equilíbrio dos ecossistemas, através dos serviços que oferece para o meio ambiente, que são muitos.

O vídeo alerta igualmente para uma das principais ameaças para esta ave, a atividade da ceifa, e para a necessidade de implementar, em colaboração com as comunidades locais e os produtores agrícolas, medidas que promovam a sua proteção e conservação nos terrenos cultivados com cereais.

O vídeo sublinha ainda a importância de estudar e obter mais informações sobre a população de tartaranhão-caçador que ocorre no Planalto Mirandês, com o propósito de aumentar o conhecimento sobre esta e contribuir com dados sistematizados para a definição de medidas de conservação, proteção e gestão da espécie nessa região mais eficazes e baseadas na evidência científica.

Ver o vídeo aqui.

Projeto vai criar Rede de Amigos do Tartaranhão-caçador

O projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar” também prevê a implementação de ações no seu território de intervenção, a Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM-TTM), com vista à identificação e monitorização de ninhos de tartaranhão-caçador para promover a sua proteção e sucesso reprodutivo, em estreita colaboração com os agricultores locais, com o intuito de criar uma “Rede de Amigos do Tartaranhão-caçador”.

Sobre o projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar”

O projeto “Reconecta-te à Natureza – as aves fazem mais do que cantar”, o qual é financiado pelo Fundo Ambiental – Ministério do Ambiente e da Ação Climática”, tem como principal objetivo sensibilizar a comunidade para os serviços fundamentais prestados pela avifauna aos ecossistemas, com o propósito de informar sobre a sua importância e papel vital e alertar para os problemas que têm provocado o declínio de várias espécies de aves associadas aos ecossistemas agrícolas.

O projeto tem como foco dois grupos de avifauna: os passeriformes e as aves de rapina. No caso dos passeriformes, aborda os serviços que estes prestam para os ecossistemas associados a hortas, pomares e florestas; e, no que se refere às rapinas, as ações incidem sobre espécies diurnas ligadas ao habitat das searas, tendo o tartaranhão-caçador (Circus pygargus) como espécie bandeira, e noturnas, associadas às quintas, apresentando como espécie de destaque a coruja-das-torres (Tyto alba).

+ INFO

 

Publicado em Palombar a 1 de fevereiro de 2021

Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe o seu comentário

Skip to content