Documentário sensibiliza para importância de proteger o tartaranhão-caçador e os serviços que presta aos ecossistemas

Still de vídeo. Crédito Gonçalo Mota.
No âmbito do projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar”, a organização não governamental de ambiente Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural produziu o vídeo/documentário de curta metragem “Proteger a rapina das searas”, que pretende sensibilizar a comunidade em geral e os agricultores em particular para a importância de proteger o tartaranhão-caçador (Circus pygargus), uma ave de rapina migradora que tem um estatuto de ameaça “Em perigo” de extinção em Portugal e cujas populações têm registado um declínio continuado no território nacional. Este vídeo também visa alertar para as ameaças que colocam esta espécie em risco e destacar os serviços que presta para os ecossistemas.

Que ave é esta? De onde vem? Em que território habita? Que ameaças enfrenta? Quais são os serviços que presta para os ecossistemas e os agricultores? Como a podemos proteger? Com foco nesta rapina das searas, o vídeo responde a estas e a muitas outras questões relacionadas com a espécie e centra-se num território, o Planalto Mirandês, um dos últimos redutos para as aves estepárias no norte de Portugal. Um dos propósitos é revelar como o tartaranhão-caçador contribui para assegurar a produtividade dos campos cerealíferos e o equilíbrio dos ecossistemas, através dos serviços que oferece para o meio ambiente, que são muitos.

O vídeo alerta igualmente para uma das principais ameaças para esta ave, a atividade da ceifa, e para a necessidade de implementar, em colaboração com as comunidades locais e os produtores agrícolas, medidas que promovam a sua proteção e conservação nos terrenos cultivados com cereais.

O vídeo sublinha ainda a importância de estudar e obter mais informações sobre a população de tartaranhão-caçador que ocorre no Planalto Mirandês, com o propósito de aumentar o conhecimento sobre esta e contribuir com dados sistematizados para a definição de medidas de conservação, proteção e gestão da espécie nessa região mais eficazes e baseadas na evidência científica.

Ver o vídeo aqui.

Projeto vai criar Rede de Amigos do Tartaranhão-caçador

O projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar” também prevê a implementação de ações no seu território de intervenção, a Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM-TTM), com vista à identificação e monitorização de ninhos de tartaranhão-caçador para promover a sua proteção e sucesso reprodutivo, em estreita colaboração com os agricultores locais, com o intuito de criar uma “Rede de Amigos do Tartaranhão-caçador”.

Sobre o projeto “Reconecta-te à Natureza – As aves fazem mais do que cantar”

O projeto “Reconecta-te à Natureza – as aves fazem mais do que cantar”, o qual é financiado pelo Fundo Ambiental – Ministério do Ambiente e da Ação Climática”, tem como principal objetivo sensibilizar a comunidade para os serviços fundamentais prestados pela avifauna aos ecossistemas, com o propósito de informar sobre a sua importância e papel vital e alertar para os problemas que têm provocado o declínio de várias espécies de aves associadas aos ecossistemas agrícolas.

O projeto tem como foco dois grupos de avifauna: os passeriformes e as aves de rapina. No caso dos passeriformes, aborda os serviços que estes prestam para os ecossistemas associados a hortas, pomares e florestas; e, no que se refere às rapinas, as ações incidem sobre espécies diurnas ligadas ao habitat das searas, tendo o tartaranhão-caçador (Circus pygargus) como espécie bandeira, e noturnas, associadas às quintas, apresentando como espécie de destaque a coruja-das-torres (Tyto alba).

+ INFO

 

Publicado em Palombar a 1 de fevereiro de 2021

Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts
Ler Mais

Marcas de minha alma

Tem dias que ainda tenho dúvida Sobre para quem são Minhas músicas de amor Mas isso não importa…
Ler Mais

DPG lança campanha promocional para professorado da ESO conseguir habilitaçom como docentes de português

Após o lançamento do vídeo “Amor à primeira vista“, para encorajar o alunado para escolherem português no seu centro, A dpg com o apoio da Secretaría Xeral de Política Lingüística do governo galego lança um novo vídeo em múltiplas plataformas e redes sociais dirigido a professoras e professores da ESO conseguirem a habilitaçom para dar aulas de português. Artigo publicado no PGL - Portal Galego da Língua 
Skip to content