“Ensaiar com Abutres: Uma simbiose entre teatro e conservação da natureza”

José Pereira, Sérgio Agostinho e Noelia Domínguez no Colóquio Internacional – Teatro sobre Ciência: teoria e prática.
A apresentação da comunicação “Ensaiar com Abutres: Uma simbiose entre teatro e conservação da natureza” no Colóquio Internacional – Teatro sobre Ciência: teoria e prática, que decorre em Coimbra, foi acompanhada pela representação cénica de uma cena do espetáculo “O Ensaio dos Abutres”.
José Pereira, biólogo e presidente da Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural e os atores Sérgio Agostinho e Noelia Domínguez da Peripécia Teatro falaram sobre o processo de coprodução do espetáculo “O Ensaio dos Abutres”, criado no âmbito do projeto Sentinelas – Rede de Monitorização de Ameaças para a Fauna Silvestre.
Esta peça de teatro resulta de uma coprodução entre a Palombar e a Peripécia Teatro. “N’O Ensaio dos Abutres”, a arte performativa surge como ferramenta de consciencialização, mobilização e transformação de mentalidades no que se refere à perceção social sobre as aves necrófagas.
Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Serra da Estrela
Ler Mais

Serra da Estrela: a torre do nosso descontentamento

Por que não conciliar a conservação e proteção do património natural com a atividade turística sustentável, apostando na redução gradual do tráfego e limitação da presença humana na zona da Torre?
Skip to content