Linhas elétricas podem ser fatais para as aves

Linhas elétricas podem ser fatais para as aves sobretudo se não tiverem dispositivos anticolisão, estiverem no local errado e forem mal desenhadas e protegidas.

É importante identificar linhas e postes mais nocivos para a avifauna.

O vídeo “Aves y tendidos eléctricos” (em português, “Aves e linhas elétricas”) alerta para o perigo que estas podem representar para a avifauna, sobretudo para as aves de rapina.

O vídeo, que resulta de uma iniciativa dos Ecologistas en Acción, organização de meio ambiente em Espanha, destaca que, no país vizinho, estima-se que morrem, por ano, 5 milhões de aves eletrocutadas em linhas elétricas, das quais mais de 33 000 são aves de rapina.

As aves usam as linhas elétricas para reunir, descansar ou como ponto de observação para caçar e detetar ameaças. Mas as linhas, se, por um lado, podem ser importantes aliadas, por outro são, muitas vezes, fatais, sobretudo se estiverem no local errado, sem dispositivos anticolisão, forem mal desenhadas e/ou protegidas.

Para reduzir drasticamente a mortalidade de aves em linhas elétricas, é muito importante identificar os postes e linhas mais problemáticos, de forma a proceder à sua correção e/ou proteção para as aves.

Se identificar aves eletrocutadas junto a postes e linhas elétricas, poderá reportar o facto ao ligar para a linha SOS Ambiente – SEPNA da GNR 808 200 520. Adicionalmente, poderá informar o sucedido à área protegida mais próxima, por exemplo, parques naturais.

No âmbito do projeto LIFE Rupis, em colaboração com a EDP Distribuição, parceira do projeto, procedeu-se à relocalização e proteção de linhas elétricas consideradas perigosas para as aves alvo do projeto, em particular a águia-perdigueira (Aquila fasciata) e o britango (Neophron percnopterus), e para as aves em geral.

Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts
Mulher / Grito
Ler Mais

Grito

O Ai da dor e do prazer Do histerismo de que és acusada O Ai do desespero De…
Ler Mais

Porque marchamos em 2021?

Se 2020 é recordado por ser o ano da pandemia, do isolamento físico, e da solidão… 2021, conseguiu…
Skip to content