“Recuperar espécies-chave para restaurar os ecossistemas” é a palavra de ordem

Este ano, as comemorações da data estão focadas em alertar para o estado de conservação de algumas das espécies de fauna e flora silvestres mais ameaçadas de extinção a nível mundial e impulsionar o debate sobre o tema, no sentido de promover a iniciativa conjunta e a implementação de soluções efetivas para as conservar.

A Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural desenvolve vários projetos que contribuem para recuperar espécies-chave e restaurar os ecossistemas, como os projetos Sentinelas – Rede de Monitorização de Ameaças para a Fauna Silvestre, ConnectNatura, Reconecta-te à natureza – as aves fazem mais do que cantar, HotSpot de Biodiversidade, entre outros. Adicionalmente, a sua atividade regular promove de forma continuada a conservação da biodiversidade e dos ecossistemas.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

As comemorações da data destacam que a meta estratégica é cumprir os seguintes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: 1 (Erradicar a Pobreza), 2 (Erradicar a fome), 12 (Produção e consumo sustentáveis), 13 (Ação climática), 14 (Proteger a vida marinha) e 15 (Proteger a vida terrestre).

Segundo dados da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), mais de 8 400 espécies de fauna e flora silvestres estão criticamente ameaçadas, enquanto cerca de 30 000 estão ameaçadas ou vulneráveis. Com base nessas estimativas, estima-se que mais de um milhão de espécies encontrem-se atualmente ameaçadas de extinção.

A perda e a degradação contínua de espécies, habitats e ecossistemas ameaçam toda a vida na Terra, incluindo a vida humana. Todos nós, em toda as partes do mundo, dependemos da vida selvagem e dos recursos baseados na biodiversidade para atender a todas as nossas necessidades, desde alimentos, combustível, medicamentos, habitação e roupas. Milhões de pessoas também dependem diretamente dos recursos da natureza para assegurar os seus meios de subsistência e ter oportunidades de desenvolvimento económico.

Há uma necessidade imperiosa de proteger espécies ameaçadas e restaurar os ecossistemas

Assim, em 2022, as comemorações do Dia Mundial da Vida Selvagem direcionam o debate para a necessidade imperiosa de reverter o destino das espécies mais criticamente ameaçadas, apoiar o restauro dos seus habitats e ecossistemas e promover o seu uso sustentável pela humanidade.

A data 3 de março foi escolhida por ser o dia da assinatura da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção, em 1973. O objetivo é celebrar e aumentar a consciência da comunidade mundial sobre a importância dos animais e plantas selvagens para todos. O Dia Mundial da Vida Selvagem é considerado o evento anual global mais importante dedicado à conservação e defesa da vida selvagem.

Outros artigos deste autor >

A Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção. A associação, que atua orientada por uma abordagem pedagógica e de cooperação, promove também a investigação científica nas áreas da Ecologia, Biologia da Conservação e Gestão de Ecossistemas, a educação ambiental, o desenvolvimento das comunidades e a dinamização do mundo rural.

Related Posts
Ler Mais

Auto-estrada VIII

VIII Tiago e a sua família não conseguiram aproveitar as maquinações do sistema, as notícias não eram boas,…
Skip to content